Numa semana em que as alterações climáticas estão a ser o foco da 74.ª sessão da Assembleia Geral das Nações Unidas, a Samsung vem dar a conhecer algumas das suas iniciativas amigas do ambiente, que já começaram em 1998. Parte dos esforços passa agora por combater o lixo eletrónico e promover uma economia circular através da reciclagem de recursos de forma "segura e eficaz".

Em comunicado, a empresa explica que em 1998 arrancou com um programa de recolha e reciclagem na Coreia no âmbito da reciclagem de lixo eletrónico. Agora conhecido como o Re+ Program e disponível em 54 países, o serviço gratuito permite aos consumidores entregar os smartphones e os seus acessórios que já não utilizam nas lojas e centros de serviços da fabricante sul-coreana.

Num vídeo publicado esta quarta-feira, a Samsung mostra de que forma aposta na reciclagem eletrónica passados mais de 20 anos. Neste caso ficamos a saber como é que um frigorífico é recolhido e transportado para a instalação de reciclagem e de que forma é que o plástico é extraído e reutilizado em novos aparelhos.

Mas depois da "tarefa" do utilizador o que acontece? Assim que o smartphone é recolhido a sua bateria é removida do modelo e processada separadamente. Em vez de queimar a bateria como é comum quando os aparelhos eletrónicos são descartados, a Samsung aposta num processo de quatro etapas, que incluem salga, perfuração, secagem e fragmentação. Qualquer cobalto, níquel ou outros metais raros extraídos durante o processo são reservados para utilização em novos produtos.

Re+ Program
Vêm aí coimas até 5 milhões para quem não cumprir regras dos resíduos elétricos e eletrónicos
Vêm aí coimas até 5 milhões para quem não cumprir regras dos resíduos elétricos e eletrónicos
Ver artigo

Depois de um aparelho antigo ser recolhido e transferido para uma instalação de reciclagem passa por uma fase de pré-condicionamento, que "ajuda a garantir que o processo seja feito de forma eficaz", garante a Samsung. É aqui que todos os dispositivos que iriam diminuir de valor caso fossem submetidos à primeira fase do processo de reciclagem para extração de aço, cobre, alumínio e plástico, são separados dos restantes.

Após serem reduzidos a pó, os dispositivos passam por um processo automático que classifica os recursos extraídos por tipo, seguindo-se um processo de transformação desses recursos em matérias-primas em empresas externas de fundição.

No comunicado o diretor da equipa de testes de produto afirma que “a reciclagem de plástico de dispositivos descartados ajuda não só a reduzir o lixo eletrónico, como diminui a quantidade de petroquímicos necessários para produzir novos produtos”. "É por isso que a circulação de recursos é especialmente importante para as empresas", conclui Youngjin Seo.

Integrado no seu compromisso de criação de uma economia circular, a Samsung estabeleceu como uma das suas metas a longo prazo a utilização crescente de plástico reciclado. A esperança é utilizar o que equivale a 500.000 toneladas de plástico reciclado até 2030, quando desde 2009 a empresa afirma terem sido aproveitadas 220.000 toneladas de plástico para criar novos dispositivos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.