A 25 de junho, o LightSail 2 rumou ao espaço à boleia do Falcon Heavy, e desde então passou a enviar sinais à equipa de controlo na Terra. A The Planetary Society revelou agora a capacidade de navegação da vela solar, aumentando a sua órbita, utilizando exclusivamente a luz do Sol como alimentação. A equipa tem uma lista de 73 etapas para testar os seus sistemas e tem superado as expetativas dos investigadores. O sistema está a ser melhorado, incluindo o controlo das velas, utilizando atualizações de software e novas técnicas, tal como pode ler-se no artigo publicado.

Os dados obtidos pelo projeto, financiado através de crowdfunding, serão partilhados com outras entidades que necessitem implementar ou utilizar o conceito da vela solar nos seus próprios veículos, nomeadamente o NEA Scout cubesat da NASA. As experiências do LightSail 2 garantem a fiabilidade do conceito, iniciado pelo Ikaros, conceito japonês que foi o primeiro do género a voar.

tek lightsail 2

A The Planetary Society explicou que nos últimos dias a nave espacial atingiu o seu ponto orbital mais elevado, o apogeu, por dois quilómetros. O inverso, o perigeu, desceu no mesmo sentido, que segundo a Sociedade, demonstrou consistência utilizando apenas a luz solar para alimentar estes movimentos de propulsão, algo que ainda não tinha sido feito e que esteve em linha com as expetativas geradas antes do seu lançamento.

O feito, segundo a The Planetary Society, é o sonho realizado, mas imaginado há décadas, referindo que Carl Sagan já falava em navegação solar nas suas aulas em 1977. Ou voltando muitos anos atrás, a 1067, quando Kepler tecia teorias de que as caudas dos cometas deviam ser criadas por energia do Sol. Nesse sentido, “a missão LightSail 2 é um game-changer para os voos espaciais e exploração avançada do espaço", é referido no documento científico.

O projeto LightSail 2 custou 7 milhões de dólares e foi desenvolvido entre 2009 e março de 2019, envolvendo a doação de cerca de 50 mil membros da The Planetary Society, oriundos de mais de 100 países.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.