O Instituto para a Investigação Translacional em Saúde Espacial (TRISH), apoiado pela NASA, vai financiar dois estudos com a tecnologia desenvolvida pela Philips para avaliar se pode melhorar o sono e o seu efeito na função cognitiva e a saúde comportamental.

Através do equipamento, os estudos vão determinar se é possível melhorar a qualidade do sono em situações de exploração espacial profunda, usando um conjunto de protocolos de estimulação auditiva. A tecnologia é a primeira do género a ser utilizada neste tipo de pesquisa.

Para isso, os estudos vão analisar não só a otimização da estimulação auditiva para melhorar o desempenho cognitivo como a melhoria da eficiência e qualidade do sono restaurador.

As vantagens de um melhor sono de ondas lentas são especialmente relevantes para os astronautas, que devem manter um desempenho cognitivo e operacional extremo enquanto trabalham num ambiente com condições difíceis para dormir.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.