A Apple reservou o dia de hoje para mais um evento especial de anúncios de novos produtos, com os especialistas a fazerem “contas” ao que poderia ser revelado, entre novas variações do iPad ou uma remodelação na sua linha de computadores Mac. Sob a frase “There’s more in the making”, a Apple tem feito teasings sucessivos utilizando a sua icónica maçã, com centenas de variações de design, espicaçando a curiosidade dos seguidores da marca.

Diretamente da Academia de Música de Brooklyn, o evento arrancou com um vídeo dedicado ao life style de Nova iorque, onde se inserem, claro, os produtos da Apple com a dedicatória clássica “I Love NY”. Tim Cook, o CEO da Apple apareceu em palco aplaudido, reforçando a química com a cidade.

Como se adivinhava, o Mac foi o primeiro produto a ser destacado. Numa retrospetiva, Tim Cook revelou que os computadores da Apple ultrapassaram os 100 milhões de utilizadores.

O patrão da Apple sublinhou o Mac Book Air como o produto que se destacou no portfólio da empresa, graças ao seu design, e a tecnologia inovadora, abraçando a noção de que “menos pode ser mais”. Com isto, Tim Cook anunciou um novo modelo da gama com ecrã em retina.

Ecrã retina e alumínio reciclado no novo MacBook Air

O novo Mac Book Air foi redesenhado e apresenta novas tecnologias, com um design elegante, destacando-se o Retina Display, muito pedido pelos utilizadores. Foi retirado a moldura, incluindo o ecrã incrustado no próprio chassis. Terá quatro vezes mais resolução no seu ecrã de 13,3 polegadas, com 4 milhões de pixéis. O ecrã terá ainda uma câmara para conferências. O portátil inclui ainda a tecnologia Touch ID, que permite desbloquear o computador com impressões digitais, que foi introduzido diretamente no teclado. A Apple promete uma maior segurança, com encriptação de dados, garantindo que os ficheiros dos utilizadores permaneçam seguros.

A Apple revelou que o portátil apresenta um teclado de nova geração, aquele que tem sido uma dor de cabeça para o fabricante. Apresenta mais 20% de área no touchpad, suportando mais gestos dos utilizadores. Tem um processador de oitava geração Intel i5, com até 16 GB de RAM e um disco SSD de 1,5 TB. A Apple promete um volume de menos 17% face ao modelo anterior. Pesa 1,250 quilos e foi construído com alumínio 100% reciclado, o que ajuda a reduzir a pegada do carbono na natureza.

O computador pode ser encomendado a partir de hoje, disponível no próximo dia 7 de novembro a partir de 1.199 dólares, para uma configuração de 8 GB e 128 GB de armazenamento.

O mais poderoso Mac Mini "de sempre"

Mas as novidades sobre o universo Mac não acabam por aqui. O novo Mac Mini foi também revelado, considerado pela fabricante como uma “besta”, todos eles equipados com seis núcleos com processadores Intel i3 quad-core de oitava geração, prometendo ser cinco vezes mais rápido que o modelo anterior.

O computador pode ser equipado com até 64 GB de RAM 2.666. Todos terão memórias flash até 2 TB, o dobro dos anteriores. Está ainda prometido um novo sistema de refrigeração, quatro portas Thunderbolt 3.0, HDMI e ligações ethernet de 10 GB. O Mac Mini arranca com preços de 799 dólares no próximo dia 7 de novembro. A Apple mantém a construção com 100% de alumínio reciclado, tal como o seu “irmão mais velho”.

iPad Pro com ecrã de retina líquida e Face ID

No que diz respeito ao iPad, Tim Cook destacou a popularidade do seu tablet no mundo. Destacando desta forma o anúncio de um novo iPad Pro. “É a maior mudança desde a introdução do original” foi a forma como foi apresentado. Utiliza o sistema de retina líquida presente no iPhone X, prometendo um ecrã (de 12,9 polegadas) com maior resposta e melhor qualidade de imagem da sua família.

Apesar de um ecrã com maior área, apresenta um tamanho inferior ao anterior, marcando ainda 15% mais fino, com 5,9 mm. Suporta Face ID para reconhecimento facial para desbloquear com segurança o dispositivo, mas também adquirir produtos da App Store. Não tem um botão de Home, tal como já havia sido revelado através do seu novo ícone.

Tem um processador A12X Bionic com oito núcleos, suportado por tecnologia de 7nn, prometendo maior performance e mais eficiência energética em cerca de 90% de velocidade de processamento. A Apple alega que o iPad Pro é mais rápido que 92% dos computadores no mercado. O mesmo para o processamento gráfico, sendo 1000X mais rápido, comparando mesmo com a Xbox One Slim.

O iPad Pro tem uma capacidade de armazenamento de até 1 TB, mudando ainda a sua entrada para USB-C, facilitando a ligação a dispositivos externos, desde monitores a câmaras fotográficas. Será mesmo possível carregar um iPhone através do iPad.

Apresenta ainda um novo design para o Pencil, que pode ser carregado via wireless. Está sempre em carregamento, logo sempre pronto a utilizar, refere o responsável da Apple. A Apple apresenta respetivo teclado que serve de capa protetora.

O novo iPad Pro promete ainda ser uma ferramenta essencial para quem utilize aplicações de realidade aumentada. As encomendas começam hoje e chega às lojas a 7 de novembro, com três tamanhos e várias configurações. O modelo de 10,5 polegadas vai custar a partir de 649 dólares, enquanto o de 11 polegadas vai custar a partir de 799 dólares e o de 12,9 polegadas parte dos 999 dólares.

Mais apps para todas as plataformas

Em relação a apps, a Apple apresentou Assassin’s Creed Brotherhood, que promete puxar pelo dispositivo, correndo a 120 FPS. Ainda assim, trata-se de um spin off, e não é semelhante aos jogos de “mundo aberto” típicos da série. Outro título mostrado para salientar as capacidades gráficas e de performance do iPad Pro foi NBA 2K19, que segundo a fabricante oferece animações a 60 FPS, impossíveis de obter em qualquer outro dispositivo mobile. Nesta versão, cada individuo do público foi renderizado de forma individual. Além disso, todos os jogadores da NBA foram reproduzidos ao pormenor, com detalhes como o suor, “pretendendo fazer frente à experiência das consolas de jogos pela primeira vez” por um dispositivo mobile.

Em relação às ferramentas de criatividade, a Apple trabalhou com a Adobe para construir novos produtos que aproveitem as capacidades técnicas do iPad Pro. O Photoshop foi redesenhado com um menu contextual que pode ser adicionado a uma pressão do dedo no ecrã, por exemplo. Mas mais importante, a capacidade de navegar pelas opções sem qualquer latência de performance na resposta das ferramentas. A integração do Pencil no programa também mereceu atenções, sobretudo no que diz respeito ao zoom, por exemplo.

A Adobe apresentou ainda o Project Arrow, um editor de imagens em realidade aumentada, onde os utilizadores podem desenhar animações em tempo real e assistir ao resultado. Ambos estarão disponíveis em 2019.

Foi revelado que a partir de hoje está disponível o iOS 12.1, que suporta a comunicação de vídeo entre múltiplos utilizadores.

Nota da Redação: A notícia foi atualizada durante a conferência.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.