A Athena Security é uma empresa especialista em cibersegurança, que desenvolveu um novo sistema de imagem que recorre à inteligência artificial e à cloud para identificar armas. A empresa adianta que esta é uma ferramenta que pode ser utilizada para prevenir tiroteios e outro tipo de casualidades que decorram da utilização indevida de armas de fogo. Nos EUA, onde os massacres têm pintado uma página negra na história do país, a tecnológica sugere que as câmaras sejam instaladas em escolas e escritórios. Na Pensilvânia, o liceu de Archbishop Wood já conta com este sistema.

Assim que a câmara detetar uma arma no seu ângulo de visão, as autoridades são prontamente alertadas. Com a ajuda da cloud, é possível personalizar os destinatários destas notificações de perigo, o que poderá agilizar a resposta ao perigo se os guardas locais foram informados de que existe uma arma nas imediações.

O sistema é também capaz de fazer streaming das imagens que está a captar, diretamente para uma aplicação móvel, o que dá à polícia uma visão privilegiada sobre a situação. Adicionalmente, a câmara pode também ser conectada a outros sistemas de segurança, para ordenar o bloqueio automático de portas e elevadores aquando da deteção de uma arma.

Neste caso, os falsos alarmes podem ser um problema, mais ainda quando a câmara contacta diretamente as autoridades. No entanto, a Athena Security afirma que a taxa de sucesso deste sistema é de 99%. Em conversa com a Fortune, Lisa Falzone comentou que o sistema "foi aperfeiçoado" e que a empresa está agora a trabalhar na deteção de outras ameaças à ordem pública, como facas, lutas e outros crimes.

A Athena oferece sistemas de segurança com várias configurações, mas as câmaras com sistema de deteção de armas e capacidade para bloquear portas e elevadores, custam 100 dólares por mês.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.