Um relatório divulgado recentemente mostra que este ano a China deverá tornar-se o terceiro país do mundo em termos de fabrico e venda de semicondutores. Perto de 15 por cento (14,8 por cento) dos semicondutores vendidos a nível mundial deverão ser desenhados e fabricados em território chinês.



A liderança deste ranking cabe aos Estados Unidos que deverão servir de plataforma a 40,2 por cento da produção mundial, garante a iSuppli. De acordo com a mesma empresa, o Japão é o segundo maior fabricante acolhendo 15,5 por cento da actividade mundial de design de semicondutores e a Formosa passa para quarto lugar da tabela com 10,1 por cento da produção mundial.



A ascensão da China no ranking mundial de países escolhidos pelos fabricantes de semicondutores está intimamente relacionada com os movimentos de deslocalização de alguns dos principais fabricantes para as regiões asiáticas, numa tentativa de poupar custos.



Desenvolvem ou preparam estratégias deste tipo gigantes como a Intel ou a AMD. Já no ano passado este mercado valeu 40 mil milhões de dólares só na China, para um valor global de 213 mil milhões de dólares. Para os próximos dois anos, pelo menos, as estimativas da indústria mantém-se de crescimento a dois dígitos.



A iSuppli destaca ainda a importância crescente no fabrico mundial de semicondutores do trio China, Hong Kong e Formosa que combinados já são responsáveis por uma produção idêntica à gerada em todo o Japão. Em 2006 o trio deverá ter um peso ainda maior em termos globais ultrapassando em definitivo o segundo fabricante mundial, o Japão.



Notícias Relacionadas:

2005-06-14 - Intel investe 200 milhões de dólares na criação de um fundo de investimento na China

2005-04-29 - Dell investe na Ásia explorando a área de serviços de TI

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.