Os dados apurados pela Canalys revelam que nem só às empresas interessa esta nova tecnologia. Ainda com preços médios elevados, as impressoras 3D têm-se assumido como um gadget desejado mesmo para quem não tem em mente objetivos profissionais.



46% das unidades vendidas entre janeiro e março deste ano tiveram como destinatários utilizadores particulares, um número que a empresa de estudos de mercado acreditam poder tornar-se ainda mais relevante à medida que os preços dos dispositivos forem recuando, uma tendência que já é visível.



Por agora, a maioria das impressoras 3D comercializadas no retalho têm preços abaixo dos 10 mil euros. Só 1% das impressoras vendidas eram máquinas industriais com valores acima dos 100 mil dólares.



Na questão do preço regista-se um impacto importante do crowdfunding, que tem ajudado a financiar vários projetos, alguns dos quais low cost. Estes produtos são menos ambiciosos na qualidade e nas funcionalidades, mas têm tido um papel central na democratização dos equipamentos.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.