DeepMind é o nome de uma inteligência artificial britânica que foi adquirida pela Google em 2014. O sistema tem estado a ser utilizado para estudar métodos de deteção de cancro da mama e os resultados são animadores. Recentemente, foi desenvolvido um modelo de IA que permite identificar o cancro de forma tão eficiente que supera a eficácia dos especialistas.

Note que o cancro da mama é o cancro mais comum entre as mulheres. A deteção é difícil e potencia o erro, o que pode levar a diagnósticos errados.

Após meses de controvérsia, DeepMind vai mesmo fazer parte da Google Health
Após meses de controvérsia, DeepMind vai mesmo fazer parte da Google Health
Ver artigo

Para este caso, a empresa treinou a inteligência artificial com um conjunto de dados pertencente a pacientes britânicos e norte-americanos e conseguiu reduzir o número de casos positivos falsos em 5,7% e os casos negativos falsos em 9,4%, durante uma fase de teste em algumas unidades hospitalares norte-americanas. No Reino Unido, as reduções foram de 1,2% e 2,7%, respetivamente.

Ao contrário dos especialistas médicos, que recorreram ao histórico dos pacientes e a mamografias passadas para fazerem os seus diagnósticos, a IA utilizou apenas a mamografia mais recente de cada paciente.

A equipa responsável pela IA sublinha que esta é uma fase prematura da pesquisa e que será necessário conduzir mais testes antes de o sistema estar pronto para ser utilizado globalmente. A DeepMind já foi anteriormente testada noutros projetos médicos, nomeadamente no despiste de doenças oculares e problemas de fígado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.