Durante uma conferência em Paris, Gwynne Shotwell, presidente da SpaceX, garantiu que a empresa iria voltar a lançar foguetões a partir do próximo mês de novembro. O programa de lançamentos da empresa liderada por Elon Musk tem estado em “stand by”, depois de um dos foguetões Falcon 9 ter explodido durante testes de ignição.

Segundo a Reuters,  Gwynne Shotwell não avançou quaisquer detalhes acerca das reparações feitas no foguetão danificado na explosão, que destruiu também um satélite de comunicações da israelita Spacecom, parte do projeto Internet.org do Facebook. Não foi também referido se foi paga a indeminização de 50 milhões de dólares exigida pela Spacecom à SpaceX pela destruição do satélite, nem se foi feito qualquer acordo de compensação alternativo.

O mesmo site afirma que a SpaceX estava a construir uma segunda plataforma de lançamentos no Kennedy Space Center, e que a NASA continua confiante relativamente às capacidades da empresa de Musk, independentemente do acidente do passado dia 1 de setembro.

A rentrée da SpaceX é comunicada um dia depois da Blue Origin, empresa espacial do CEO da Amazon Jeff Bezos, ter entrado na “corrida” das viagens espaciais tripuladas, afirmando que planeava dar início a estas viagens já em 2018.

O rol de missões mal-sucedidas da SpaceX está a aumentar. Recorde-se, por exemplo, que, em junho deste ano, um dos Falcon 9 não conseguiu aterrar como planeado numa plataforma marítima, acabando por ficar danificado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.