Está em desenvolvimento um novo projecto europeu de investigação com vista à criação de uma "infra-estrutura virtual avançada", que conta com a participação da Energias de Portugal (EDP) e da Efacec. As empresas portuguesas estão responsáveis pela construção da rede eléctrica inteligente que constituirá um dos cenários de teste.

Com um consórcio liderado pela IBM, o Trustworthy Clouds (ou TCLOUDS) quer criar uma infra-estrutura de cloud computing que ofereça "um novo nível de computação e armazenamento mais seguro, privado e resiliente, e que seja eficiente, simples e escalável", refere-se num comunicado enviado à imprensa.

Para demonstrar as potencialidades do TCLOUDS, os investigadores vão criar um protótipo para dois cenários que envolvam sistemas de TI críticos: uma rede eléctrica inteligente e um serviço de telemedicina.

A rede eléctrica combinará contadores inteligentes e análise em tempo real via Internet e sistemas de controlo de consumo energético que permita aos fornecedores públicos de utilities a monitorização e o controlo da rede. O TCLOUDS comprovará como este sistema pode migrar para uma infra-estrutura cloud, enquanto aumenta os seus níveis resiliência e segurança, tanto face a hackers como a falhas no hardware.

O serviço de telemedicina conta com a parceria de um hospital em Milão, Itália, e prevê a monitorização remota, diagnóstico e assistência de pacientes fora do ambiente hospitalar. O ciclo de vida deste serviço será armazenado num ambiente cloud, podendo ser acedido pelo paciente, pelos médicos e por todo o pessoal autorizado. O objectivo é mostrar que a nuvem pode melhorar a qualidade e eficiências de um sistema de telemedicina, reduzindo custos e mantendo a privacidade.

"Actualmente, a informação pode ser encontrada em qualquer parte e acedida por qualquer meio, mas isso não pode ser feito sem riscos, nomeadamente de segurança e de perda de dados", comentou Matthias Schunter, líder técnico do TCLOUDS e investigador nos laboratórios de Zurique da IBM Research.

"Com o TCLOUDS queremos demonstrar que é possível obter eficiências e reduzir ,e em alguns casos mesmo eliminar, riscos em áreas como a saúde e energia, recorrendo a tecnologia avançada de cloud", concluiu.

O TCLOUDS está avaliado em 10,5 milhões de euros, com 7,5 milhões de euros financiados no âmbito do FP7 Framework da União Europeia. A conclusão do projecto está prevista para Setembro de 2013.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.