A polícia espanhola deteve os três alegados responsáveis pela "Mariposa", uma botnet de 13 milhões de computadores destinada a roubar dados de cartões de crédito, cujo rasto vinha sendo seguido pelas autoridades desde 2008.

Os três espanhóis, com idades entre os 25 e 31 anos, são acusados de ter infectado computadores em mais de 190 países, em mais de metade das mil maiores empresas do mundo e pelo menos em 40 instituições bancárias, informaram duas das entidades que ajudaram a Guardia Civil na investigação, a canadiana Defence Intelligence e a espanhola Panda Security, citadas pela Reuters. Um quarto envolvido estará ainda por localizar.

O vírus - que começou por ser disseminado explorando uma falha no Internet Explorer, propagou-se depois também através de dispositivos de armazenamento de dados USB - roubava dados de cartões de crédito, e outros com potencial valor económico, que enviava para os computadores onde os suspeitos armazenavam a informação.

Segundo a informação veiculada as autoridades, ainda estão a examinar os registos bancários dos suspeitos, bem como diverso material informático apreendido durante a operação, com vista a determinar os montantes desviados.

As actividades da gigantesca rede de computadores zombie já estavam a ser vigiadas desde Dezembro de 2008, segundo a informação avançada pelo El Mundo e terá sido desactivada no dia 23 de Dezembro de 2009, mas só agora foi consumada a detenção dos responsáveis.

"Netkairo", "jonyloleante" e "ostiator", como eram conhecidos no "mundo virtual", incorrem agora numa pena que pode ir até aos seis anos de prisão.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.