DreamWorks SKG, Twentieth Century Fox, Universal Studios e Artisan Entertainment, quatro grandes produtoras cinematográficas de Hollywood, anunciaram na quarta-feira que pretendem começar ainda durante este ano a comercializar filmes no formato de videocassete digital D-VHS desenvolvido pela JVC, uma unidade da Matsushita Electric Industrial.



Segundo a fabricante japonesa de produtos de electrónica, esta tecnologia é totalmente digital e destina-se a sistemas de televisão de alta definição, funcionando com um dispositivo leitor de cassetes próprio. Os quatro estúdios de cinema optaram por lançar as suas obras num sistema opcional do formato D-VHS designado de D-Theater.



Esta plataforma incorpora um novo sistema proprietário de encriptação que se destina a impedir a cópia não-autorizada de conteúdos pré-gravados protegidos por direitos de autor, indo assim de encontro aos interesses das produtoras cinematográficas.



Cada cassete D-VHS terá uma capacidade de 44 GBytes para armazenamento de dados, o que possibilita que os fornecedores de conteúdos de software integrem um filme completo em formato HDTV - de alta definição - numa única cassete. A capacidade máxima de gravação por unidade é de quatro horas, em modo de televisão de alta definição ou de mais de 50 horas, no caso de se optar pelo sistema de definição normal.



O gravador da JVC permite também guardar e reproduzir vídeo em formato de VHS analógico, Super VHS, Super VHS ET (Expansion Technology) - tecnologia desenvolvida pela fabricante japonesa para gravar imagens com qualidade S-VHS em cassetes normais de VHS analógico - e D-VHS digital - modo de definição elevada (HD - com taxas de transferência de dados de 28 Mbps), comum (SD - taxa de transferência de 14,1 Mbps), e do tipo LS3 (taxa de transferência de 4,7 Mbps).



O D-VHS não se destina a concorrer com o formato DVD, cujo preço é mais acessível. Adoptado por quase todos os fabricantes de produtos de electrónica nos últimos cinco anos, o Digital Video Disc tornou-se o formato mais massificado para reproduzir filmes. A tecnologia da JVC é antes vocacionada para um grupo relativamente pequeno de proprietários de sistemas de entretenimento do tipo "Cinema em Casa" com televisores de alta definição, que pretendem obter imagens digitais mais claras e nítidas.



Em 2001, 32 milhões de lares norte-americanos dispunham de um leitor de DVDs, ao passo que apenas dois milhões estavam equipados com um televisor de alta definição. O aparelho leitor de D-VHS está disponível nas lojas norte-americanas deste o início de Janeiro, tendo um preço recomendado de 1.999 dólares (2.314,46 euros ou 464 mil escudos) , de acordo com a Reuters. As produtoras de cinema esperam lançar os primeiros títulos no novo formato a um preço entre 30 e 40 dólares (entre 34,73 e 46,31 euros ou entre 6.963 a 9.284 escudos) por cassete, informa a mesma agência.



Notícias Relacionadas:

2000-09-26 - Gravador da Panasonic guarda 60 horas em disco rígido

2000-07-04 - 140 GB num disco regravável

2000-04-21 - DVD vs. VHS - a evolução natural

2000-04-10 - DVD acelera, mas VHS permanece activo

Entrevista: A morte anunciada do VHS

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.