A Fast Charge estabeleceu um acordo com a Chaliyuan Technology com o intuito de distribuir em Portugal um serviço que permite o carregamento de baterias de telemóveis em postos públicos.



Os carregadores públicos apresentam-se com o nome EMCARGA e possuem "algumas semelhanças com as caixas de multibanco móveis", diz a empresa referindo-se à presença de ecrãs nestes espaços, onde serão apresentados conteúdos publicitários aos quais o utilizador pode assistir enquanto recuperam a bateria do seu telemóvel.



O sistema é compatível com 95 por cento das marcas de telemóveis existentes no mercado e permite o carregamento de oito a 18 equipamentos simultaneamente em apenas 15 minutos. As máquinas EMCARGA permitem ainda que os utilizadores recebam e efectuem chamadas, ou realizem outras operações, enquanto esperam a restituição da bateria.



De acordo com a informação enviada à imprensa, a fiabilidade e segurança do sistema está patente na "utilização de tecnologias circuito de prevenção multiplexing e carregamento por micro-impulsos", o que possibilita uma autonomia de até 12 horas após o carregamento sem "viciar" as baterias.



Os postos públicos EMCARGA incluem ainda um sistema de desinfecção e esterilização dos equipamentos, assegura a empresa que acredita que, de uma forma geral, o serviço será importante para a "redução da dependência dos carregadores tradicionais".



A Chaliyuan Technology introduziu o sistema de carregamento público em 2002 e desde então tem vindo a exportar a solução para diversos países, entre os quais Estados Unidos, Reino Unido, França, Suécia e Espanha.



Contactada pelo TeK, a Fast Charge avança que em Portugal as primeiras plataformas estarão disponíveis daqui por mês e meio em Lisboa, no Porto, em Aveiro, Leiria e Santarém, entre outras cidades. A distribuição dos terminais deverá cobrir pontos estratégicos, tais como estádios de futebol, centros comerciais, gasolineiras, hotéis, lojas de operadores e outros locais de grande afluência populacional.



O custo do serviço vai variar consoante o ponto de acesso escolhido pelo consumidor. Neste sentido, se o utilizador decidir carregar o telemóvel, por exemplo, num centro comercial ou num outro local público, deverá pagar uma taxa de um euro. Por outro lado, se optar por carregar a bateria do dispositivo num quarto de hotel, camarote do estádio de futebol ou num outro local ao qual está associado o pagamento de uma taxa prévia, o acesso ao EMCARGA será gratuito.



Nota de Redacção: A notícia foi alterada com base nos esclarecimentos fornecidos pela Fast Charge quanto à semelhança entre os postos de carregamento públicos e as caixas de multibanco móveis.

Notícias Relacionadas:

2007-03-30 - Philips desenvolve telemóvel compatível com pilhas

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.