Durante anos, os computadores para gaming tinham o seu ponto ideal de memória uma configuração de 16 GB. Não havia nenhum jogo que obrigasse a ter 32 GB, sendo considerado até aqui “overkill” (quando se tem um componente ou especificações mais poderosas do que é necessário). Mas 2023 promete mexer nos standards e alguns dos títulos mais aguardados do ano já estão a colocar os 32 GB como recomendado. As configurações para correr todos os efeitos no máximo e aproveitar as resoluções 4K dos monitores e televisores são igualmente mais exigentes em alguns títulos.

O primeiro jogo a lançar esse “alarme” foi Forspoken, o novo jogo de ação baseado em mundo aberto da Square Enix que vai ser lançado na próxima semana, dia 24 de janeiro. Sendo um jogo exclusivo da PlayStation 5 no que diz respeito às consolas, portanto, um título de nova geração, a sua versão PC vai puxar pela configuração. O que era anteriormente marcado como “recomendado”, os 16 GB de RAM passam agora a requisitos mínimos para correr o jogo, segundo a sua página no Steam. Em termos de processamento o jogo não parece ser tão exigente, requerendo no mínimo um Intel Core i7 de terceira geração ou AMD Ryzen 5 1600.

Mas é preciso olhar para os requisitos recomendados do jogo para começar a fazer contas à vida. São 24 GB de RAM recomendados, portanto, o mais certo é ter que fazer o upgrade para os 32 GB de RAM. E recomenda uma GeForce RTX 3070 ou uma Radeon RX 6700 XT, ou seja, placas gráficas de pelo menos geração anterior como recomendada. E isto para não falar nos massivos 150 GB de armazenamento interno apenas para instalar o jogo.

Olhando ainda para o exemplo de Forspoken, a configuração mínima vai correr o jogo a um máximo de 720p de resolução a 30 FPS. Ninguém vai querer jogar um título de nova geração com uma performance inferior ao tempo de uma PlayStation 3. E mesmo na configuração recomendada, o máximo que terá é 30 FPS a uma resolução de 1440p. É pouca performance para um jogo de nova geração.

Obviamente que não vai investir numa nova configuração para um computador por causa de um único videojogo, sobretudo um título original e desconhecido, apesar de prometer ter qualidade. É aqui que entram mais dois jogos que vão abalar as configurações dos computadores de gaming atuais: Hogwarts Legacy e Returnal.

Hogwarts Legacy é o jogo mais aguardado pelos jogadores para 2023, segundo o Steam. O novo jogo da Warner Bros. inspira-se no universo de Harry Potter e chega às lojas em fevereiro. A configuração do jogo para PC promete também devorar os recursos dos sistemas. Mais uma vez o mínimo é 16 GB de RAM, uma NVidia GTX 960 e um processador Intel Core i5-6600 para correr o jogo a uma resolução máxima a 720p e 30 FPS. Ou seja, vai ter que escolher a qualidade mínima dos gráficos para poder correr o jogo nesta configuração, num jogo que promete mostrar o castelo de Hogwarts em todo o seu esplendor.

E o que fazer ao seu monitor de 4K? Para puxar por esta resolução vai ser obrigado a 32 GB de RAM, mas também um processador Intel Core i7 de 10ª geração e uma GeForce RTX 2080 Ti para especificações Ultra, ou para Ultra 4K necessita ter pelo menos uma RTX 3090 Ti. Quanto ao peso do jogo no armazenamento interno, prepare 85 GB.

A adaptação do exclusivo para a PS5 Returnal também vai ser um devorador de recursos. Ou pelo menos ia ser. A Sony avançou no final do ano que eram necessários 32 GB de RAM na configuração recomendada, mas numa recente entrada no seu blog oficial “retificou” as especificações, voltando a adicionar os 16 GB de RAM como mínimo e recomendado. No entanto, não espere jogar a mais de 1080p a 60 FPS nesta configuração recomendada, que inclui ainda uma placa NVidia RTX 2070 Super/AMD Radeon RX 6700 e CPU de oitava geração.

Mas se quiser chegar perto da performance da PlayStation 5, ou seja, jogar com uma resolução 4K, aceder a todos os efeitos de partículas, assim como Ray Tracing, os 32 GB continuam a ser obrigatórios. Neste caso necessita ainda de uma gráfica RTX 3080 Ti e Intel Core i9 ou Ryzen 9 nas configurações.

Felizmente a Climax Studios introduziu as já “obrigatórias” funcionalidades de upscaling gráfica através de IA, dos sistemas AMD FSR e a NVidia DLSS, para que a experiência de jogo seja mais suave, independentemente da configuração que tiver. Estas tecnologias vão estar também disponíveis em Hogwarts Legacy.

O calendário de lançamentos de 2023 ainda não está totalmente preenchido, mas é provável que outros jogos de grande perfil puxem a fatia. À medida que os títulos multiplataformas começa a abandonar a PS4 e Xbox One, concentrando-se exclusivamente na nova geração, para o PC estar ao nível das suas configurações vai ter que ser atualizado com as mais recentes configurações. Starfield, Star Wars Jedi: Survivor, The Day Before e S.T.A.L.K.E.R. 2: Heart of Chornobyl são outros dos títulos dos mais esperados do Steam que felizmente não obrigam a configurações pesadas.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.