Quem descarregar a versão de testes do novo motor de busca já não vai ficar sujeito aos mesmos termos que a empresa propunha aos primeiros utilizadores que fizeram o download da aplicação.

Da licença de utilização, anexa a qualquer produto descarregado da Internet e de aceitação obrigatória para o utilizador, fazia parte um artigo onde a Google reclamava direitos sobre qualquer conteúdo submetido, publicado ou mostrado através do browser.

Neste End User Licence Agreement, a Google reclamava "uma perpétua, irrevogável, mundial, livre de royalties e não exclusiva licença para reproduzir, adaptar, modificar, traduzir, publicar […] qualquer conteúdo submetido, publicado ou exibido" através do Chrome pelo utilizador.

De acordo com a BBC News o artigo terá sido retirado da licença de utilização do browser, devolvendo aos utilizadores do Chrome esses direitos.

A Google justificou o artigo com questões legais, alegando que os termos que legalmente e de forma genérica se aplicam a um produto podem não fazer tanto sentido quando analisados no que se refere à utilização concreta do produto.

O novo artigo referente aos conteúdos produzidos ou distribuídos pelos utilizadores já indica que os direitos sobre este material serão do utilizador.

Notícias Relacionadas:
2008-09-04 - Chrome da Google já tem problemas de segurança
2008-09-04 - Sugestão TeK : Chrome - uma razão para mudar de browser?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.