O programa e-escolas vai ser alargado aos alunos do 11º e 12º ano, abrangendo agora um total de mais de 750 mil potenciais utilizadores da iniciativa que visa distribuir computadores portáteis com acesso Internet de banda larga a alunos e professores por um preço muito abaixo do seu valor de mercado. Segundo informação do Governo estes alunos podem ainda durante este ano lectivo solicitar os equipamentos.

O alargamento do programa foi decidido hoje em Conselho de Ministros e responde a um pedido generalizado dos alunos e pais, que consideravam discriminatória a limitação aos jovens que frequentavam o 10º ano de escolaridade. Recorde-se que a iniciativa abrange ainda os professores do ensino básico e secundário e os formandos do Programa Novas Oportunidades.

Com este alargamento aos alunos do 11º e 12º ano são abrangidos no programa mais 250 mil potenciais beneficiários, o que eleva para 750 mil o número de utilizadores previsto, depois de este ter sido fixado inicialmente entre os 500 e 600 mil.

A Resolução do Conselho de Ministros de hoje prevê ainda um regime especificamente dirigido a beneficiários da iniciativa com necessidades educativas especiais de carácter permanente, garantindo-lhes o acesso a computadores adaptados, sem quaisquer encargos adicionais.

Dependendo do escalão de rendimentos do agregado familiar, os alunos têm acesso a computadores portáteis por um máximo de 150 euros e uma mensalidade de banda larga móvel que é 5 euros mais baixa do que o valor de mercado.

Notícias Relacionadas:

2007-11-19 - e-escolas e retalho dinamizam crescimento dos portáteis em 2007

2007-09-13 - Portáteis integrados no e-Escola têm valor de mercado acima dos 700 euros
2007-09-11 - Programa e-escolas inicia entrega de portáteis a alunos e professores

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.