A polícia norte-americana está a treinar cães para farejar pens USB, telemóveis e outros equipamentos eletrónicos que possam ser relevantes no âmbito de uma investigação criminal. De acordo com a CNET, os animais têm a capacidade de identificar o cheiro químico, típico destes aparelhos, e apuram o faro assim que começam a associar este odor com a atribuição de um biscoito.

Como pensam os cães? Rede neural treinada através do comportamento canino
Como pensam os cães? Rede neural treinada através do comportamento canino
Ver artigo

Já existem várias esquadras com cães que possuem esta habilidade, mas o programa está agora a ser estendido a todo o país. Há já alguns casos de sucesso nos EUA, sendo que um dos mais mediáticos aconteceu em 2015, quando um Labrador Retriever encontrou uma pen USB que onde estavam guardadas várias pastas com pornografia infantil, que serviram como prova de acusação em tribunal.

A polícia de Connecticut afirma que a habilidade é difícil de treinar. Em cada 50 cães, apenas um costuma conseguir dominar a técnica, uma vez que o odor característico dos equipamentos eletrónicos, que emana do óxido de trifonilfosfina, é fraco. É mais fácil, adianta a organização, "cheirar bombas, drogas, humanos ou líquidos inflamáveis".

Os Labrador Retriever são a raça que tem revelado melhor apetência para realizar a tarefa.

As forças de segurança norte-americanas consideram que o programa é essencial no departamento dos K-9, uma vez que a utilização de equipamentos eletrónicos é crescente e a sua recolha é muitas vezes vital para resolver casos de justiça.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.