O tema é antigo e continua a opor HP e Oracle, agora na justiça. A Oracle deixou no ano passado de desenvolver software compatível com os chips Itanium da Intel, uma decisão que a empresa tem justificado com o facto da própria Intel ter reconhecido que está a migrar para processadores baseados na arquitetura x86, mais moderna.



A HP tem contestado a decisão e garante que a medida não é inocente. Alega que, desta forma, a Oracle está a condicionar o mercado e a causar-lhe danos elevados com a decisão.



Para fazer valer os seus argumentos a HP recorreu agora à justiça, num processo onde pede 500 milhões de dólares em danos para compensar as perdas que já teve com a decisão da Oracle.



Se a concorrente - que depois da compra da Sun ocupou um espaço significativo no mercado de hardware - não voltar atrás na decisão e continuar a caminhar para o fim do suporte aos Itanium, a HP já fez as contas e quer ser indemnizada em 4 mil milhões de dólares. O valor compensa o negócio perdido até 2020, indica a Bloomberg, que cita fontes próximas ao processo para avançar valores.



A HP alega ainda que num acordo assinado pelas duas fabricantes tinha ficado estabelecido que a Oracle iria garantir o suporte a servidores com Itanium até que a HP deixasse de os vender, mas a Oracle diz que não e remete para a versão escrita do documento que, garante, não aborda o assunto.



O acordo em questão foi aquele que as duas empresas assinaram para pôr fim à contenda que resultou da contratação pela Oracle do ex-CEO da HP Mark Hurd, um acordo que ficou aliás conhecido como acordo Hurd.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico




Cristina A. Ferreira

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.