Um investigador checo decidiu desenvolver um sistema de Inteligência Artificial para dar resposta a uma pergunta que tem vindo a intrigar a comunidade de investigação literária. Cerca de 169 anos depois de o analista literário James Spedding ter notado, em 1850, uma grande semelhança entre o trabalho de John Fletcher e certas passagens da “Henrique VII” de William Shakespeare, Petr Plecháč indica que conseguiu descobrir que partes foram escritas por cada um dos autores.

Para solucionar a questão, o investigador da Academia Checa de Ciências, em Praga, afirma no seu artigo, que treinou um algoritmo para reconhecer determinadas escolhas de palavras e de ritmos, tendo por base trabalhos de ambos os autores. A utilização de uma técnica conhecida como “rolling window”, permitiu à IA navegar livremente pelas obras, de forma a estudar a sua forma estilística.

Composição autoral da obra

Assim, o sistema desenvolvido por Petr Plecháč não só confirmou a teoria de James Spedding, como também conseguiu determinar que John Fletcher escreveu cerca de metade da obra baseada na vida do rei inglês. Ao que tudo aponta, o dramaturgo concentrou-se mais no fim e no início de determinadas cenas, embora Fletcher e Shakespeare tivessem escrito certas passagens “a meias”.

O investigador testou também se o trabalho de Philip Massinger correspondia à obra. Alguns especialistas consideram que o dramaturgo britânico é outro dos colaboradores de “Henrique VII”, no entanto, Petr Plecháč conseguiu provar que tal hipótese é muito pouco provável.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.