(Actualizada) A IBM anunciou a conclusão de um trabalho de investigação que lhe permitirá oferecer aos seus clientes uma técnica aperfeiçoada de fabrico de microchips, capaz de incrementar a velocidade actual dos processadores usados em dispositivos móveis, com consumos energéticos mais reduzidos.



A empresa garante que a mais recente actualização daquele processo de fabrico permitirá que um processador opere até aos 200 GHz, ou 200 mil milhões de ciclos por segundo, duplicando as potencialidades da anterior geração da tecnologia.



O processo combina a utilização de silício e germanium (também designado por tecnologia de fabrico germânio de silício - SiGe), muito usado antes da vulgarização do uso de silício e "redescoberto" uns anos mais tarde, depois de se ter verificado que a combinação em camadas das duas matérias resultava em ganhos significativos ao nível da velocidade. A tecnologia aplica-se a telemóveis e outros dispositivos wireless, mas espera-se que esta nova versão possa também ser usada em radares de curto alcance para automóveis, ajudando a melhorar os níveis de segurança actuais através da disponibilização de informação útil ao condutor.



A IBM trabalha no processo de fabrico há mais de dez anos, tendo sido a primeira empresa a usar a tecnologia para fabricar chips e desde aí vem procurando melhorar a sua eficácia. A versão que agora tem concluída é a quarta. Usa tecnologia de 130 nanómetros e vai permitir maior duração de bateria, novas funcionalidades para equipamentos móveis, como conectividade Wi-Fi ou tecnologia GPS.



Para este tipo de aplicação a IBM apresenta uma versão de baixo custo da tecnologia que designa por 8WL. Está também disponível uma versão mais potente designada por 8HP, explica a empresa em comunicado.



Numa outra comunicação oficial citada pela Reuters, a IBM refere duas companhias como utilizadoras do processo, que se incluem no leque de clientes que usam as instalações da IBM para fabricar os seus semicondutores, sem no entanto adiantar se serão seus futuros clientes nesta nova evolução.



As companhias referidas são a Sierra Monolithics e a Tektronic. A primeira fabrica dispositivos wireless de comunicações de dados e a segunda desenvolve ferramentas electrónicas de medição e monitorização. A tecnologia tem também sido utilizada por fabricantes móveis como a Motorola.



Embora seja um método de utilização marginal no contexto global do mercado de semicondutores, já que tem um custo superior, os chips fabrico germânio de silício geram anualmente uma receita de 1,6 mil milhões de dólares.



Nota de Redacção [15:58]: A notícia foi complementada com nova informação oficial da IBM.



Notícias Relacionadas:

2002-02-26 - IBM cria circuito integrado que funciona a mais de 110 GHz

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.