Uma equipa de investigadores da IBM utilizou uma nanotecnologia inovadora para realizar num cartão perfurado buracos seis mil vezes mais pequenos do que um cabelo humano, servindo deste modo para armazenar num bocado de plástico com as dimensões de um selo postal 1 Terabit de informação - trilião de bits ou mil Gigabits -, o equivalente ao conteúdo de 25 DVDs.



Esta tecnologia insere-se no projecto de investigação com o nome de código de Millipede, que tem vindo a ser desenvolvido nos últimos seis anos nos laboratórios de Zurique da companhia de informática. O feito alcançado com este processo atingiu uma capacidade de armazenamento de dados 20 vezes superior à tecnologia mais densa de armazenamento magnético disponível actualmente.



Em vez de recorrer aos meios magnéticos ou electrónicos tradicionais de armazenar dados, o Millipede utiliza milhares de nanoagulhas afiadas de modo a perfurar recortes dentados representando bits individuais num fino filme de plástico.



Segundo a IBM, o resultado assemelha-se a uma versão nanotecnológica do processamento de dados através de cartões perfurados, inventado há 110 anos, diferenciando-se apenas no facto de a tecnologia Millipede poder ser reescrita - podem ser usadas várias vezes - e de poder armazenar mais de três biliões de bits de dados no espaço ocupado por apenas um buraco num cartão perfurado normal.



Alguns responsáveis da empresa prevêem que, na melhor das hipóteses, os consumidores poderão adquirir a partir do final de 2005 um chip mecânico de memória baseado nesta investigação, podendo conter entre 5 a 10 Gigabytes de dados.



Na demonstração de um terabit foi empregue uma única nanoagulha que perfurou recortes dentados de apenas 10 nanometros - um milhão de um milímetro - em diâmetro. A informação, que seria traduzida numa combinação binária entre zeros e uns em outros sistemas de memória informática, é dividida em pontos e travessões que se transforma em buracos e superfícies lisas.



Apesar de se prever que a memória flash não ultrapasse 1 ou 2 Gigabytes de capacidade a curto prazo, a tecnologia da IBM poderá colocar entre 10 a 15 Gigabytes de dados no mesmo formato, sem que seja necessária mais energia para o funcionamento do aparelho.


Notícias Relacionadas:

2002-01-09 - Cruzer é a nova estrela de armazenamento portátil com cartões de memória flash

2001-09-07 - Sony e SanDisk vão desenvolver a próxima geração da Memory Stick

Dossier: A guerra santa da memória

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.