Ano novo, nova forma de abordar o mercado. A Beeverycreative já foi lançada em 2013, mas a empresa ainda deu muitos "primeiros passos" no último ano. As críticas da imprensa especializada foram cruciais para a startup perceber como evoluir e os resultados ficam agora à vista.

Em primeiro lugar há uma redução de preço, com o valor de comercialização recomendado a baixar para os 1.299 euros, isto sem impostos. Quer dizer que em Portugal será preciso acrescentar quase mais 300 euros ao preço final, relativo ao IVA, para comprar a impressora.

O preço da Beethefirst até aqui rondava os 1.620 euros sem impostos, o que acaba por ser uma redução significativa no preço. "Várias críticas foram fantásticas, mas consideraram o preço demasiado alto", justifica em comunicado a empresa.

O preço mais acessível também vai permitir que a impressora portuguesa possa tornar-se mais competitiva relativamente a equipamentos como a espanhola bq Witbox ou a Qilive.

Além da quebra no preço, a Beeverycreative está ainda a comunicar que daqui para a frente será possível usar filamentos plásticos de outras marcas, sem que os utilizadores percam a garantia do equipamento. "Entendemos que a lealdade dos clientes não se deve tornar na dependência dos clientes", esclarece a startup.

Por fim foi ainda anunciada uma nova parceria que vai colocar a Beethefirst na área da educação. O acordo foi estabelecido com a também portuguesa Nautilus e em breve será revelado um kit específico tendo em conta o sector do ensino.

A startup Beeverycreative também já tem presença confirmada em alguns dos maiores eventos de impressão 3D que vão realizar-se em 2015, tais como o 3D Printshow de Madrid, Londres, Paris, Berlim e Nova Iorque.


Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.