A SpaceIL é uma organização israelita, sem fins lucrativos, fundada por três engenheiros em 2010, que decidiu responder à competição Google Lunar X Prize. Os 30 milhões de dólares de prémio servem de incentivo aos jovens engenheiros e investidores que sejam capazes de desenvolver métodos de robótica para a exploração espacial. Para vencer, os candidatos têm de aterrar com sucesso um módulo espacial na superfície da Lua, viajar pelo menos 500 metros e transmitir imagens e vídeo em alta-definição para a Terra.

Os jovens pretendem fazer história, procurando aterrar o seu módulo espacial no satélite natural terrestre, em missão a começar em dezembro. Será a primeira nave israelita a chegar à Lua, e se tudo correr como planeado, a SpaceIL e a empresa estatal aeroespacial, pretendem causar um impacto educacional e inspirador em Israel e todo o mundo para a escolha de carreiras ligadas à matemática, ciências e engenharia, pode ler-se na página da missão.

O orçamento do projeto ronda os 81 milhões de euros, grande parte investidos pelo bilionário Morris Khan. O módulo será lançado por um foguetão SpaceX Falcon, a partir dos Estados Unidos, até à órbitra da Terra. Será depois utilizada a gravidade terrestre para fazê-lo girar à volta do mundo até ser projetado para a Lua, prevendo-se a sua chegada no dia 13 de fevereiro de 2019.

O módulo espacial, que tem cerca de 585 quilos, após alunar começará a sua missão de recolha de imagens e dados sobre o magnetismo lunar, que serão depois estudados no instituto Weizmann em Israel. A SpaceIL dará a missão como completa dois dias após chegada à Lua, mas prevê-se um impacto duradouro no impulso tecnológico de Israel. Até porque depois dos Estados Unidos, Rússia e China, o país poderá ser a quarta nação a pisar o solo lunar.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.