Um rapaz de 18 anos de Nova Iorque submeteu uma ação judicial contra a Apple de mil milhões de dólares. Em causa esteve a prisão indevida do jovem por causa do sistema de reconhecimento facial da fabricante de Cupertino. Segundo avança o New York Post, os polícias nova-iorquinos prenderam Ousmane Bah, no dia 29 de novembro, depois de ter sido ligado incorretamente a uma série de roubos a lojas da Apple em Boston, Nova Jersey, Delaware e Manhattan.

Ao que parece, o verdadeiro criminoso utilizou uma identificação roubada que tinha o seu nome, morada e outros dados pessoais, mas como o documento não tinha fotografia, a acusação alega que a Apple programou o sistema de reconhecimento facial das lojas para associar a face do criminoso aos detalhes pessoais do jovem incriminado.

Após investigação dos vídeos da vigilância da Apple, chegou-se à conclusão de que o verdadeiro Ousmane Bah não tinha qualquer parecença com o ladrão. Além disso, o jovem tinha um alibi, pois estava numa festa de finalistas em Manhattan durante os roubos em Boston, num crime de equipamentos no valor de 1.200 dólares.

A acusação aponta à Apple a utilização de um sistema de reconhecimento facial que regista os visitantes e clientes das suas lojas sem que estes saibam que estão a ser “secretamente analisados”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.