O cenário de eleições continua hoje na mesa nos exercícios no Centro Nacional de Cibersegurança. A edição deste ano conta com a participação de 22 entidades como “jogadores”, e no cenário utilizado, são simulados os dias quinta e sexta-feira que antecedem o ato tendo sido trocadas mais de 400 mensagens entre as entidades e produzidos cerca de 100 relatórios de situação, no âmbito do trabalho desenvolvido pelas entidades participantes no jogo.

Entre as mensagens, estavam bem presentes sondagens falsas no cenário dos exercícios, assim como campanhas baseadas em perfis falsos e bots nas redes sociais. Ataques de defacement e DDoS a várias páginas também foram simulados, tal como falhas na distribuição elétrica em grandes dimensões.

Entre os participantes contam-se a Agência Lusa, Altice Portugal, ANACOM, Centro de Ciberdefesa ERC, ERSE Gabinete Cibercrime da Procuradoria Geral da República, IGFEJ, Infraestruturas de Portugal  Microsoft, NOS, NOWO, A Unidade de Combate ao Cibercrime da Polícia Judiciária UNC3T, REN, Secretaria Geral do MAI, SSI, SIRP, Governo Regional da Madeira e a Vodafone Portugal.

A modalidade de observador também foi denotada no primeiro dia, com a participação de cerca de 10 entidades, maioritariamente do setor publico, refere o CNCS em comunicado.

O CNCS revelou um balanço positivo do primeiro dia do jogo, salientando a boa interação e comunicação entre as entidades participantes. Hoje os trabalhos são retomados sob o mesmo tema das eleições.

Nota da Redação: Foi adicionada informação à notícia

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.