A Microsoft confirmou ontem que irá retirar algumas funcionalidades da tecnologia de virtualização para o Windows Longhorn, designada Viridian, de forma a não atrasar o lançamento da tecnologia.



A primeira funcionalidade retirada da versão inicial do Viridian foi a "live migration", uma ferramenta que permite gerir uma máquina virtual entre dois servidores físicos.



Ao contrário do que estava previsto, a primeira edição da tecnologia não vai incluir suporte para cartões de rede, nem possibilidade de extensão de memória.



De acordo com a Cnet, o Viridian só vai ter capacidade para suportar 16 núcleos de processamento - oito chips dual-core ou quatro chips quad-core.



No entanto, a empresa de Bill Gates assegura que as características retiradas desta versão serão adicionadas às edições futuras da tecnologia.



O objectivo da companhia é cumprir os prazos estipulados disponibilizando a tecnologia 180 dias após o lançamento do sistema operativo Windows Server Longhorn, que deverá ser comercializado até ao final deste ano.



O Viridian faz parte da estratégia da Microsoft para o desenvolvimento de tecnologias de virtualização. Contudo, ao limitar a oferta inicial, a Microsoft dá espaço aos projectos concorrentes, Xen e VMware.



Notícias Relacionadas:

2007-05-07 - Empresas europeias apostam na virtualização de servidores

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.