A mobilidade é actualmente uma das prioridades empresariais portuguesas. Esta é a conclusão de um estudo desenvolvido pela parceria Dell/IDC para Portugal.




O primeiro Barómetro da Mobilidade em Portugal indica que os computadores portáteis se tornaram fundamentais na estratégia de qualquer empresa dada a flexibilidade que garante a toda a equipa laboral.




Os dados recolhidos pela equipa Dell/IDC mostram que, actualmente, cerca de 70 por cento das médias e grandes empresas nacionais disponibilizam soluções de mobilidade a menos de 20 por cento dos seus colaboradores. Analisando os números de 2006, o total de trabalhadores móveis em Portugal era equivalente a 38 por cento da população activa, o que corresponde a 1,96 milhões de trabalhadores.




Durante a apresentação dos resultados, Gabriel Coimbra, Research e Consulting Manager da IDC, indicou que o número de trabalhadores móveis irá continuar a aumentar, perfazendo 40 por cento da população activa no final desta década.




As principais motivações que levam as empresas a adoptar soluções móveis assentam essencialmente nos benefícios que a flexibilidade traz para os colaboradores, que conseguem conciliar a vida profissional com a pessoal de forma facilitada, o que permite maior qualidade de trabalho e um incremento na produtividade.




Estes factores levam a que a maioria das empresas estejam a pensar migrar o seu parque informático para soluções móveis nos próximos anos. A substituição de equipamentos obsoletos e de desktops são os motivos apontados por 78 por cento das organizações como factor justificativo dessa migração.




Uma das conclusões do estudo é que 53 por cento da utilização de portáteis acontece fora do ambiente empresarial, nomeadamente ao nível das equipas comerciais, trabalhadores que operam a partir de casa, entre outros.




Por outro lado, a mobilidade interna perfaz 26 por cento do total de utilizações, sendo que, dentro da organização 21 por cento dos equipamentos portáteis utilizados são utilizados como PC de secretária.




Durabilidade e fiabilidade
Os dados compilados pela Dell e pela IDC indicam que os factores mais valorizados na compra de um PC portátil são a durabilidade e fiabilidade, a estabilidade da plataforma, a segurança, a conectividade e o preço. O design assume-se como o aspecto menos valorizado pelo mercado empresarial na hora de adquirir um laptop.




A norma 3G foi considerada por dois terços das organizações como suficiente para as necessidades presentes e futuras da mobilidade. Cerca de 70 por cento dos inquiridos considera interessante a conectividade UMTS/HSDPA integrada nos portáteis quando soluções baseadas em PCMCIA ou USB. No entanto, os preços praticados no mercado e a cobertura das redes 3G são apontados como os principais entraves à adopção desta tecnologia.




No que diz respeito às soluções de segurança e à gestão do parque de portáteis, observou-se um gap entre a valorização destes aspectos e a real implementação destes parâmetros na estratégia das empresas.




O crescimento e a "importância do factor mobilidade para o sucesso de uma organização" foram os factores que potenciaram a realização deste estudo em Portugal, referiu Luís Ló, Country Manager da Dell em Portugal. Com esta análise, a Dell pretende ter maior percepção do mercado empresarial e das necessidades do cliente, referiu o mesmo responsável.




Mesmo assim, e apesar do crescimento constante que se observa na mobilidade empresarial desde 2005, os números portugueses ficam aquém da média europeia que, de forma geral, se posiciona 10 pontos percentuais acima da nacional.




Notícias Relacionadas:

2006-06-01 - Mobilidade profissional só será efectiva em 2010

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.