A Google anunciou que o seu browser Chrome irá introduzir duas novas restrições nas suas extensões de forma a controlar os add-ons no acesso aos dados privados dos utilizadores. A principal mudança é que todas as extensões serão agora obrigatórias utilizar o mínimo de permissões necessárias quando pede aos utilizadores o acesso aos seus dados.

Segundo o The Verge, se uma tarefa pode ser realizada através de múltiplos caminhos, a extensão será obrigada a seguir aquele que requer acesso à mínima quantidade de dados.

Outra medida introduzida é que a Google está a obrigar mais extensões a publicar as suas políticas de privacidade na loja online do Chrome. Aquelas que requerem o acesso a dados pessoais e sensíveis já eram obrigadas, mas agora todas as extensões que requerem acesso a qualquer comunicação pessoal ou conteúdo gerado pelos utilizadores passam também a listar.

Estas medidas serão implementadas até ao final do ano, mas os produtores serão avisados com 90 dias antes da data efetiva. As extensões que depois não cumprirem as novas regras serão removidas da loja do Chrome e desativados dos browsers.

Também as apps ligadas ao Google Drive terão limitações de acesso a dados semelhantes, ficando limitados a aceder apenas a ficheiros específicos que necessitem. E os serviços de backup ou outras aplicações que necessitem total acesso, apenas o podem fazer mediante autorização da Google.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.