A Microsoft alterou as regras de licenciamento do seu software para grandes clientes, que entraram em vigor a 1 de Outubro deste ano. As novas licenças disponíveis são de três tipos diferentes e a empresa anunciou ontem que o período de subscrição da Software Assurance foi alargado até dia 31 de Julho de 2002.


Entre este mês e o final de Julho de 2002 serão descontinuadas as licenças de actualização até aqui utilizadas e ficarão disponíveis os novos programas de licenciamento: Licença (L), Software Assurance (AS) e Licença & Software Assurance (L&SA).


A Licença (L) fornece direitos à versão actual do software, substituindo as outras que existiam até agora (Licença Standard, Actualização de Versão, Actualização Competitiva, Actualização de Produto e como função de "actualização" do "Upgrade Advantage".


Quanto à opção Software Assurance (SA) garante direitos às actualizações do software, enquanto o contrato estiver em vigor, admite licenciamento Open, mesmo quando adquirido separadamente na renovação deste tipo de contratos. Para além disso, encontra-se direccionado para produtos pré-instalados e provenientes de parceiros que utilizam a tecnologia Microsoft (Original Equipment Manufacturer - OEM) e está também disponível separadamente, no prazo de noventa dias da data de aquisição. Esta última opção não vigora no caso das aplicações adquiridas separadamente.


No que diz respeito ao outro tipo, a Licença & Software Assurance (L&SA) empresta direitos à versão actual do software (L) e às suas actualizações (SA) enquanto o contrato estiver em vigor. Nos programas de licenciamento por volume, após 31 de Julho de 2002, esta é a única forma de colocar Licenças (L) em Software Assurance.


De acordo com Carlos Lopes, director de parceiros e PMEs da Microsoft Portugal, "até agora existia uma panóplia de formas de licenciamento muito complexa em termos de canais e com a adopção destes programas vai há ver uma simplificação".


A partir daqui existe maior simplicidade (orçamentação, aquisição, administração e garantia de conformidade da licença), redução ou manutenção dos custos e clientes com ciclo de actualização de três em três anos. O que se deverá, segundo Carlos Lopes, "ao investimento que a empresa se propõe efectuar, à sua dimensão física e ao valor extra que a actualização lhe proporcionará".


A Microsoft possibilita, mais especificamente, que clientes do Office 2000 e do Office XP até 31 de Julho contratem directamente o Software Assurance, incluindo ainda, como já foi referido, aqueles clientes que pretendam permanecer actualizados.


O Software Assurance custa anualmente 29 por cento do valor da Licença (L) nas aplicações e sistemas operativos e 25 por cento da Licença (L) nos produtos servidores e respectivas licenças de Acesso de Cliente (CAL).


Em vez de permitir a escolha aos clientes do momento em que deve efectuar actualizações, estas novas opções contratuais fornecerão automaticamente a versão actualizada de novos produtos. É claro que os clientes podem ainda optar por actualizar ao seu ritmo "mas isso dependerá do valor e rentabilidade que a empresa quer retirar do software e da poupança que entretanto verificará", esclareceu Carlos Lopes.

Notícias Relacionadas:

2001-05-07 - Microsoft adia modelo de subscrição para Office XP nos EUA


2001-03-21 - Office XP estreia sistema de activação de produto


2001-04-03 - Microsoft mantém modelo de licenciamento no Office XP

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.