Mais empresas insurgem para alertar o executivo de Donald Trump sobre os efeitos colaterais que as novas taxas sobre a China vão ter nos bolsos dos americanos. Desta vez foi a Sony, Microsoft e Nintendo a juntarem-se para escrever uma carta aberta à Administração dos Estados Unidos, alertando o governo sobre como as taxas vão afetar a indústria dos videojogos e os seus empregados.

As fabricantes de consolas referem que os 25% de taxa vai resultar no aumento de 840 milhões de dólares no custo das consolas de videojogos. “Ainda que apreciemos o esforço da Administração para proteger a propriedade intelectual americana e preservar a liderança tecnológica dos Estados Unidos, há um efeito desproporcionado causado pelas novas taxas que vão afetar os consumidores e os negócios”, referem as empresas na carta.

O comunicado refere que 96% das consolas de videojogo foram construídas na China no ano passado, e reconfigurar toda cadeia de distribuição para evitar os custos, e ainda cumprir as ordens legislativas do executivo vão afetar a indústria. As empresas destacam que a sua “máquina” de fabrico e distribuição foi desenvolvida na China ao longo dos anos, com grandes investimentos das empresas e parceiros. A mudança da produção para os Estados Unidos ou outro país iria aumentar os custos para além do valor das taxas propostas, para produtos que por si, já têm margens mínimas.

“As taxas vão causar uma disrupção nos negócios das nossas empresas e aumentar significativamente os custos que vai afetar as vendas das consolas, videojogos e serviços que conduzem à rentabilidade deste segmento do mercado”, é referido na carta.

As fabricantes da PlayStation 4, Switch e Xbox One não são as únicas a alertarem o governo para os efeitos desta guerra comercial e os constantes aumentos de taxas. Empresas ligadas ao hardware e outras gigantes tecnológicas que estão a ponderar mudar as fábricas para Taiwan, mas os custos adicionais terão de ser suportados pelos consumidores americanos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.