Semanalmente são criados cerca de 57 mil websites falsos que pretendem atrair os internautas para novos esquemas fraudulentos, avisa a Panda Security. A empresa analisou os endereços criados nos últimos três meses e diz que 65% imitam páginas de bancos, seguindo-se as lojas e leilões online.

As marcas e nomes conhecidos estão entre os recursos mais utilizados pelos hackers, que em média recorrem a 375 nomes por semana para posicionar os websites falsos nos resultados de topo dos motores de pesquisa, atraindo assim os internautas mais distraídos.

A análise agora divulgada às técnicas de Black Hat SEO (técnicas de optimização de resultados em motores de busca) foi realizada pelo PandaLabs, que identifica o eBay, Western Union e Visa como as marcas que lideram o ranking das mais utilizadas, seguindo-se a Amazon, Bank of America e Paypal.

Os bancos são as organizações mais utilizadas pelos hackers nestes ataques, seguindo-se como já foi dito as lojas e leilões online, com 26,8% de peso no total de websites falsos identificados. Com menos representatividade ficam categorias marginais como as Outras instituições financeiras, organismos oficiais e sistemas de pagamento.

[caption]Nome imagem[/caption]

Depois de nos últimos anos o email ter dominado as técnicas de distribuição de malware e phishing, desde o ano passado que os hackers têm optado por técnicas de optimização de resultados em motores de busca, envolvendo a criação de falsos websites que utilizam nomes e marcas famosas para atrair e ganhar a confiança de utilizadores, afirma a empresa em comunicado.

Ao visitar as páginas, muitas vezes referenciadas nos primeiros resultados de uma pesquisa, os utilizadores correm o risco de serem infectados por malware - sem terem conhecimento de que está a ser feito o download de um vírus ou de um cavalo de tróia ou dando autorização para instalar algum add-on apresentado como importante -, ou de serem enganados com o aspecto legítimo da página, fornecendo dados pessoais e financeiros.

"O problema é que quando se visita um website através de motores de busca, é difícil para os utilizadores saberem se é legítimo ou não. Como tal, e dada a proliferação desta técnica, é recomendável que se aceda a sites bancários ou a lojas online escrevendo o endereço directamente no browser, em vez de se utilizar motores de busca", explica Luis Corrons, Director Técnico do PandaLabs.

De acordo com este responsável, "apesar dos enormes esforços que se estão a fazer para minimizar esta situação alterando os algoritmos de indexação actuais, [os motores de busca] ainda não conseguem escapar completamente à enorme avalanche de novos endereços Web que são criados por hackers diariamente".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.