O sucesso da PlayStation e Nintendo prende-se sobretudo na capacidade de desenvolver títulos “first party”, produzidos pelos estúdios internos das fabricantes. Estratégia que a Microsoft não tem gerido da melhor forma ao longo das diferentes gerações da Xbox. A gigante de Redmond adquiriu e encerrou diferentes estúdios, perdendo pelo meio algum gás, deixando no esquecimento algumas séries de renome. Mas isso está a mudar.

Apesar de Phil Spencer estar há muitos anos na Microsoft, quando assumiu a pasta da Xbox começou a arrumar a casa, mudando radicalmente a estratégia da empresa na forma como aborda as produções e serviços, tudo em prol de uma estratégia tendo o gaming como ponto principal. Dessa forma, a Xbox One deixou de lado o enfoque no contexto de media center da sala de estar, para se dedicar totalmente àquilo para o qual foi concebida: os videojogos. E para completar essa visão, foram introduzidos serviços, e sobretudo a aquisição de diversos estúdios para o seu portfólio. O Xbox Game Pass tem sido elogiado, e as produtoras adquiridas dão alento à empresa, já de olhos postos na próxima geração de consolas.

Mas Phil Spencer, numa recente entrevista à Fortune, acredita que ainda tem muito trabalho pela frente com o lançamento dos jogos produzidos “in house”. “Não fizemos o nosso melhor trabalho ao longo dos últimos anos, no que diz respeito ao lançamento de títulos do nosso catálogo”, afirmou o executivo.

De forma a melhorar as suas operações internas, a fabricante adquiriu diversos estúdios de renome, tendo adicionado durante a E3 a Double Fine Productions, à dezena de novas empresas que já fazem parte da família Xbox. Phil Spencer acredita que com as aquisições, mas também a restruturação feita internamente, adicionando novas contratações para os estúdios que já detinha, conferindo-lhes espaço e tempo para produzirem irá dar frutos num futuro próximo, ou mais tardar no próximo ano, com o lançamento da Scarlet.

Há ainda um estúdio criado de raiz, a The Initiative, a operar em Santa Monica, na Califórnia, que tem liberdade para explorar e tentar fazer coisas novas, tal como um estúdio independente. E o estúdio até já olhou para os vizinhos, ou melhor para a concorrência da Santa Monica Studios da Sony e contratou alguns nomes ligados a God of War, um dos maiores sucessos da PlayStation 4 do ano passado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.