Quando a Epic Games, a produtora de Fortnite, anunciou em março, na Game Developers Conference, melhorias no seu motor Unreal para suportar a tecnologia NVidia RTX, prometeu um realismo sem precedentes nos efeitos visuais computorizados. A tecnologia centra-se em Ray Tracing, capaz de simular reflexos e iluminação em tempo real, tal como na realidade, oferecendo um desempenho visual de qualidade cinematográfica.

Até aqui nenhum fabricante havia construído hardware capaz de suportar este avanço no software, e tal como prometido, a NVidia vai lançar no final do seu ano fiscal uma gama de placas gráficas baseadas em tecnologia de GPU Turing de oitava geração, como confirmou o CEO da empresa Jen Hsun Huang durante a conferência SIGGRAPH. “A velocidade da luz”, uma comparação feita à experiência cinematográfica em tempo real utilizando a arquitetura NVidia Turing, juntamente com a tecnologia RTX para o processamento de Ray Tracing e claro, o motor Unreal para gerar a demonstração protagonizada por um Porsche 911 Speedster Concept, como adianta o fxGuide.

Quando foi revelado e demonstrado na GDC, a tecnologia de Ray Tracing estava a correr numa máquina composta por inúmeras peças de hardware da NVidia, a 5 rays por pixel, suportado por uma redução de ruído gerado por inteligência artificial, resultando numa demo impressionante. Na nova demonstração, o GPU Turing já é capaz de acelerar o contador do Ray Tracing e IA 25 vezes mais rápido que a anterior tecnologia baseada em Pascal. Isto deve-se à introdução de processadores dedicados para executar os cálculos matemáticos de como a luz e o som atravessam os ambientes 3D.

Antes que comece a pensar em fazer um upgrade ao PC, a tecnologia é para já dedicada à indústria e a profissionais de animação, assim como cinema, publicidade e efeitos especiais. Até porque como seria previsível, a tecnologia não é barata. As primeiras três placas da NVidia vão chegar no último trimestre do ano fiscal da empresa, o que significa que devem ser lançadas no início de 2019. A Quadro RTX 5000 é a “entrada de gama” e custará 2.300 dólares, seguindo-se os modelos 6000 e 8000 por 6.300 e 10.000 dólares respetivamente. A topo de gama, por exemplo, tem 48 GB de RAM. Será possível juntar diversas placas através de NVLink para criar um servidor dedicado a RTX, para múltiplos utilizadores.

O sistema, por si, consegue suportar nativamente resoluções de 8K e HDR pela primeira vez. Para ter uma ideia, os sistemas baseados em Pascal tinham 11,8 mil milhões de transístores, ao passo que o novo Turing tem 18,6 mil milhões de transístores, com 96 GB de buffer.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.