Há uma proposta submetida para a criação de um supercomputador, a nível europeu, instalado na Península Ibérica. No contexto da iniciativa europeia “EuroHPC – European High Perfomance Computing”, Portugal e Espanha lideram um consórcio onde se incluem a Turquia, Croácia, e contando ainda com o apoio da Irlanda. Portugal espera representar cerca de 10% do consórcio.

O plano é instalar um supercomputador do tipo “pre-exascale” no Barcelona Supercomputing Center, em Barcelona. Ainda no âmbito da “Rede Ibérica de computação Avançada – RICA”, está a ser preparada uma segunda candidatura, desta vez coordenada por Portugal, para instalar no MACC (Minho Advanced Supercomputer Center) outro supercomputador do tipo “petascale”, para reforçar a capacidade da infraestrutura atual.

O centro já está em fase de conclusão da instalação da primeira máquina MACC no centro de dados de Riba D’Ave, no Minho, tendo como base cerca de 40 racks STAMPEDE 1, cedidos à Fundação para a Ciência e Tecnologia no âmbito de uma parceria de Portugal com a Universidade do Texas, em Austin, incluindo a colaboração da Texas Advanced Supercomputing Center e a Universidade do Minho.

Estima-se que o MACC comece a funcionar no próximo verão, substituindo até agora, a computação distribuída nas instalações da FCT em Lisboa e na Universidade de Coimbra.

A instalação coordenada das duas novas máquinas pre-exascale para Espanha e petascale para Portugal, vão facilitar as grandes infraestruturas computacionais da Península Ibérica, prevendo-se estarem prontas em 2023.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.