Embora só chegue às lojas em pacote no dia 31 de Outubro, os computadores que estarão a partir da meia-noite de hoje à venda nas lojas já têm a versão portuguesa. A versão OEM preparada para os fabricantes tem a língua portuguesa para o Windows Home Premium e a versão Ultimate dá ao utilizador a opção de todas as línguas suportadas pela Microsoft.

O Magalhães da J.P. Sá Couto, os equipamentos InSys da Inforlandia, os portáteis da Toshiba e da Asus estão entre os exemplos de fabricantes de fabricantes que vão começar a comercializar já novos modelos com o Windows 7, alguns dos quais são estreados propositadamente com o lançamento do novo sistema operativo, como o MG2, o novo Magalhães.

Mauro Xavier, responsável pela área de OEM da Microsoft Portugal, explicou ao TeK que sempre esteve previsto que a versão do sistema operativo a distribuir aos fabricantes e retalhistas já incluía os menus em português. "Só a versão vendida em caixa no retalho é que o português só está disponível a 31 de Outubro".

Este responsável admite que a Microsoft não tem números sobre a opção entre o inglês e o português nos sistemas operativos, já que essa é uma opção "transparente" para a empresa. A percepção do mercado permite-lhe, porém, afirmar que todos os OEMs presentes no mercado português vão ter disponível a opção de língua portuguesa.

A Toshiba optou por ter toda a sua linha de consumo já com Windows 7, mesmo nos Netbooks que estreiam a versão Windows 7 Starter Edition. Jorge Borges, director de marketing da empresa em Portugal, explica que as vantagens de usabilidade e melhoria de autonomia justificam esta opção.

No caso da Toshiba todos os computadores têm a opção de uso do Windows 7 - na versão Home Premium, em português ou inglês. Uma escolha que o utilizador faz na primeira configuração da máquina e que não pode ser alterada à posteriori. Por isso a empresa não tem noção de qual é a versão mais usada.

Também na Asus as duas opções estão presentes em todos os equipamentos comercializados com Windows 7. André Gonçalves explicou ao TeK que grande parte dos modelos da marca vai ter a versão Home Premium mas que na Série G, dedicada aos fãs de jogos, está disponível a versão Ultimate.

No caso do MG2, o novo Magalhães, o sistema operativo tem apenas a opção em português, uma escolha que a J.P. Sá Couto fez logo à partida no licenciamento do software.

A opção da Inforlandia passa também pela disponibilização aos utilizadores da escolha da língua que querem usar, português ou inglês. A fabricante portuguesa vai ter já à venda um Netbook com Windows 7 Starter e um tablet PC com Windows Home Premium.

Questionados pelo TeK os fabricantes mostram-se optimistas com as vendas até ao final do ano, reconhecendo que o Windows 7 poderá dar um impulso numa época que já é tradicionalmente forte.

"Tradicionalmente um novo sistema operativo é uma novidade que impulsiona sempre o mercado", explica Jorge Borges que reconhece que nos últimos meses o mercado esteve "brando", o que pode ser atribuído aos factores da crise mas também à expectativa do Windows 7, com o lançamento do sistema operativo soma-se o efeito da novidade com a melhor experiência de utilização.

André Gonçalves, da Asus, mostra-se igualmente optimista. "A possibilidade de upgrade para o Windows 7 [que esteve disponível nos últimos meses] deu um impulso para quem estava renitente em comprar um novo computador antes do Windows 7 ser lançado. Mas agora o novo sistema operativo será um elemento favorável nas nossas vendas".

Fátima Caçador

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.