Na futura grande atualização do Windows, a Fall Creators Update, a Microsoft pretende fazer uma grande aposta na segurança do seu sistema e vai recorrer a mecanismos de inteligência artificial para melhorar o Windows Defender Advanced Threat Protection (ATP), serviço destinado ao mundo empresarial.

Devido aos ataques informáticos registados nos últimos tempos, um pouco por todo o mundo, e que se aproveitaram de falhas do Windows, como foi o caso do WannaCry e do NotPetya, a Microsoft começa a ver uma necessidade ainda maior de melhorar os seus serviços de segurança, em especial os empresariais.

Com a implementação da inteligência artificial o software ATP vai estar ligado a uma cloud da empresa e vai ter a habilidade de, instantaneamente, conseguir recolher informações referentes a ataques anteriores.

 

Com esta ligação constante a um grande serviço na nuvem, o sistema será capaz de agir rapidamente contra um ataque colocando o vírus imediatamente de quarentena e criando de seguida uma “assinatura” que o identifica e permite pesquisar e partilhar informação sobre o mesmo, de forma a ajudar a proteger outros computadores.

Cerca de 96% dos ataques informáticos utilizam um novo malware , mesmo que seja uma forma modificada de um outro já existente, e ao conseguir partilhar instantaneamente a informação com os servidores da empresa, oferece uma proteção mais rápida aos clientes.

Inicialmente esta ferramenta estará disponível apenas para os clientes empresariais mas, segundo o que a CNET indica, a Microsoft também poderá vir a disponibilizar a solução de segurança para o utilizador comum.