Nos Estados Unidos morrem uma média de 115 pessoas por dia com origem em overdoses de substâncias opiáceas, ou seja, derivadas do ópio. Um flagelo que triplicou entre 1999 e 2016. Nesse sentido, diversas empresas têm investigado e trabalhado em dispositivos semelhantes aos relógios e pulseiras inteligentes para “vigiar” as pessoas que consomem drogas e tomar algumas medidas perante uma iminente overdose.

A HopeBand é uma pulseira inteligente desenvolvida por estudantes da Universidade Carnegie Mellon, em Pittsburgh, nos Estados Unidos. Esta solução pode disparar um alarme sonoro, luzes vermelhas intermitentes e até enviar uma mensagem de texto com a sua localização para destinatários prontos a acudir a vítima, quando é detetado um nível baixo de oxigénio no sangue. Chegado ao local, a ajuda pode administrar o medicamente capaz de reverter os efeitos de overdose.

O sistema funciona através de sensores de pulsações oximétricas, que trabalham através de uma luz de LED através da pele. O dispositivo faz a monitorização dos baixos níveis de oxigénio durante 10 segundos até disparar o alarme, tal com é explicado no website biomédico IEEE Spectrum.

Apesar dos testes simulados no laboratório terem corrido bem, os estudantes ainda não testaram o dispositivo numa situação real. Entretanto o protótipo continuará a ser melhorado, estimando-se no futuro adicionar funcionalidades que possam resolver o vício associado à utilização do ópio. A equipa espera que a pulseira seja inserida nos programas de distribuição de agulhas, e que uma versão comercial custe até 20 dólares.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.