Alguns psiquiatras estão a ajudar os seus pacientes a enfrentarem as suas fontes de ansiedade recorrendo à Realidade Virtual (RV), com estudos a mostrarem resultados promissores não só em pacientes com esquizofrenia, mas também para ultrapassar fobias, como o medo de alturas.

Um estudo, conduzido por um professor do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Oxford, testou a eficácia de usar RV como método de terapia em 100 pacientes com uma aversão patológica a alturas. Cerca de metade foram sujeitos a um teste de RV automatizado enquanto os restantes tiveram consultas tradicionais.

A maioria dos pacientes sofria desta condição há cerca de 30 anos, mas após apenas quatro semanas de tratamento com um tempo médio total de tratamento de cerca de 124 minutos, os 49 pacientes submetidos à tecnologia de Realidade Virtual viram as suas fobias diminuir em maior escala do que o grupo de controlo.

Considerando uma pontuação acima dos 29 no Heights Interpretation Questionnaire (HIQ), onde valores mais altos indicavam um maior medo das alturas, os participantes na experiência de RV tiveram uma redução média na pontuação do HIQ de -24,5, contra os -1,2 dos restantes.

“Três quartos das pessoas reduziram, pelo menos, para metade o seu medo de alturas. Depois, até descobriram que podiam ir a lugares que não imaginavam possíveis, como subir uma montanha íngreme ou simplesmente usar uma escada rolante em um centro comercial sem medo”, revela Daniel Freeman, responsável pelo estudo.

Com o software de realidade virtual de Oxford, os pacientes interagem com um terapeuta virtual em vez de um profissional real, o que pode permitir às clínicas uma automatização na prestação de cuidados e, por conseguinte, chegar a mais pessoas.

"É cada vez mais reconhecido que os problemas de saúde mental afetam um número muito grande de pessoas, mas há muito poucos terapeutas psicológicos qualificados para fornecer os melhores tratamentos", explicou Freeman, para quem "combinar a melhor ciência psicológica com essa tecnologia de ponta pode ajudar a transformar a vida de muitas pessoas”.

Na sequência dos resultados deste estudo, os investigadores lançaram a Oxford VR , uma empresa da Universidade de Oxford cujo objetivo é "transformar a saúde mental para milhões".

“Queremos que muito mais pessoas tenham acesso ao melhor tratamento psicológico. Portanto, estamos a desenvolver um grande número de tratamentos automatizados de realidade virtual para problemas de saúde mental, incluindo depressão, ansiedade e esquizofrenia”, esclareceu o responsável.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.