Na realidade, foram mais os engenheiros da agência espacial norte-americana que levaram o rover Mars 2020 “a dar umas voltas”, como é anunciado oficialmente.

De acordo com o explicado pela NASA, o veículo marciano de 1,040kg foi rodado no sentido do relógio e em sentido contrário a cerca de uma rotação por minuto naquilo que é denominado como mesa giratória num espaço de trabalho tipo “clean room”, desenhado para prevenir contaminação, no Jet Propulsion Laboratory da NASA, em Pasadena, Califórnia.

tek Mars 2020 GIF tek Mars 2020 GIF
Na imagem disponibilizada, a rotação está acelerada.

Os engenheiros estavam à procura do centro de gravidade do rover, ou o ponto em que o peso é igualmente disperso por todas as partes.

A definição do centro de gravidade é um elemento chave do processo de montagem do rover e ajuda a assegurar que vai correr tudo pelo melhor com o veículo robótico, principalmente durante a entrada, descida e chegada à superfície de Marte, tal como calculado. Os engenheiros podem adicionar pesos de modo a equilibrar o veículo. No final, afixaram nove pesos de tungsténio, num total de 20kg, aos chassis do rover em pontos de ligação predeterminados, para obter o centro de gravidade perfeito.

“O processo da mesa giratória é idêntico à forma como uma oficina calibra um pneu novo antes de o pôr no seu carro”, explica Lemil Cordero, um dos engenheiros do JPL ligado ao projeto. “Rodámos o rover para trás e para a frente e procurámos assimetrias na sua distribuição de massa. Então, tal como na oficina, que põe pequenos pesos na jante do pneu para o equilibrar, também colocamos massas de balanceamento no rover em pontos específicos para definir o seu centro de gravidade exatamente onde o queremos”.

Este foi o primeiro teste na mesa giratória do rover assemblado para determinar o seu centro de gravidade. Na próxima primavera está prevista a realização de um segundo e último teste, nas instalações da NASA, em Cape Canaveral.

Quando o veículo pousar na Jezero Crater, a 18 de fevereiro de 2021, será a primeira nave espacial na história da exploração planetária com a capacidade de redirecionar, com precisão, o seu ponto de aterragem, durante a sequência de aproximação, neste caso, ao planeta vermelho.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.