Roland Borsky é um técnico de informática austríaco que começou a trabalhar na sua empresa de reparações de computadores nos anos 1980 em Viena, tendo recebido muitos produtos da Apple avariados. Ao longo dos anos foi acumulando computadores, monitores e outros dispositivos construídos pela marca da maçã, muitos deles provavelmente não reclamados pelos seus clientes.

Com cerca de 1.100 computadores, segundo afirmou ao Business Insider, tem muitos mais itens que o museu de Praga dedicado à Apple, que tem apenas 472 artefactos tecnológicos. O técnico afirma que detém a maior coleção privada do mundo para produtos da gigante tecnológica, mas estes podem ter um destino terrível.

A Apple abriu em fevereiro a sua primeira Apple Store em Viena, assumindo desta forma o suporte técnico dos seus produtos, acabando por “roubar” o trabalho às diversas empresas de reparações como a de Roland. Por isso e pelo facto de as tecnologias da marca da maçã serem cada vez mais difíceis de reparar ou substituir, o reparador teve de fechar a sua empresa.

Por isso, o empresário deixou de conseguir pagar o aluguer do seu armazém, e terá de se desfazer da sua coleção. O técnico tem esperança que algum filantropo possa investir e ajudá-lo a manter a sua coleção numa exposição, de forma a angariar o valor da sua dívida que chega aos quase 30.000 euros. “Já ficava satisfeito se ficasse simplesmente exposto em qualquer lado, para as pessoas verem”, afirmou o colecionador à Agência Reuters. O pior que pode acontecer é a coleção ser toda destruída, caso ninguém se interesse.

Na galeria poderá ver fotos de alguns dos computadores e dispositivos da Apple que constam na coleção do técnico.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.