O spyware leva o nome de Regin e, segundo a descrição da Symantec, é parecido na forma como oculta a sua presença ao Stuxnet, o vírus criado pelos Estados Unidos e por Israel para atacar as instalações de enriquecimento nuclear do Irão.

Além disso é "moldável", ou seja pode assumir diferentes caraterísticas, adaptando-se a diferentes finalidades.

A empresa de segurança adiantou também que as infeções provocadas pelo Regin foram observadas no período entre 2008 e 2011, e depois o spyware terá desaparecido. Em 2013 surgia numa nova versão.

Um dos pareceres da Symantec quando deu o alerta há uns dias atrás era que este malware teria sido criado por um país, dado o seu nível de sofisticação. Num artigo recente, o The Intercept atribui às agências de investigação norte-americanas e britânicas a autoria do Regin.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.