Depois de ter sido detectado pela primeira vez na semana passada, o chamado "Storm Worm" já afectou pelo menos 300 mil computadores. A Symantec refere que esta é a pior praga desde 2005 dada a rapidez de propagação e as técnicas de disfarce utilizadas pelos cibercriminosos para a difusão do troiano.



Os responsáveis pelos ataques utilizam o correio electrónico como veículo para a difusão do código malicioso e, se no início utilizavam títulos alusivos às fortes tempestades registadas na Europa, agora recorrem a mensagens dentro de um registo mais sentimental, tais como "Why I Love You" ou "Our Love is Strong".



As mensagens electrónicas incluem anexos com extensão .exe que, ao serem abertos descarregam um troiano que abre uma backdoor no computador, utilizada posteriormente para o roubo de dados ou para envio de spam.



De acordo com a empresa de segurança, até ao dia 22 de Janeiro os sistemas internos da companhia detectaram mais de 19 milhões de emails infectados. Uma vez que o número representa apenas as amostras interna a quantidade real de mensagens maliciosas em circulação na rede será bastante maior.



Patrick Martin, da Symantec, afirma que o número de ataques aumentou significativamente durante o fim de semana e que não havia registos de uma ameaça semelhante desde Maio de 2005, altura em que o worm Sober. O afectou um número semelhante de sistemas.

Notícias Relacionadas:

2007-01-19 - Vírus informático utiliza tempestades na Europa como estratégia para se propagar

2007-01-02 - Ataques de phishing aumentam 56 por cento em 2006

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.