Spin-off da Xerox, o PARC faz investigação experimental em muitas e diferentes áreas, a partir do coração tecnológico da Califórnia, desde os anos 70. Foi ao PARQ que a Apple foi buscar o "seu" rato e onde nasceram também a Ethernet, a impressão a laser e a computação ubíqua que inspira o uso de aparelhos móveis, entre outras tecnologias.

Físicos, cientistas sociais, engenheiros eletrónicos, entre outros profissionais de 35 países, vão usar a plataforma de software da empresa portuguesa para submeter, melhorar, avaliar e selecionar coletivamente ideias com potencial de revolucionar indústrias.

A ideia é que a tecnologia sirva para interligar os colaboradores e agregar a sua criatividade e inteligência coletiva, para eleger ideias que possam mudar a forma como vivemos e trabalhamos, de maneira mais rápida e eficiente.

A plataforma da Exago funciona como um mercado de ideias, explicou Pedro da Cunha, CEO da empresa em declarações ao TeK. "Qualquer colaborador pode responder a desafios lançados, partilhar a sua proposta, comentar, melhorar e investir nas ideias de outros".

A solução é usada por vários clientes há vários anos, mas agora está a ser customizada para responder aos objetivos específicos do PARC, acrescentou o responsável. Vai estar a funcionar em pleno no final do ano.

A empresa portuguesa vai ser a única a fornecer tecnologia para este projeto para o centro de investigação do PARC. O acordo entre as duas organizações tem um “limite contratualizado que se renova automaticamente”.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.