Até 2003, a Toshiba pretende concluir a produção de um disco óptico DVD usando uma fonte de luz laser azul-violeta e empregando o método de 0,6 milímetros, de acordo com a publicação AsiaBizTech.



A fabricante japonesa de electrónica rejeita desta forma a adopção do formato de disco óptico de vídeo de grande capacidade conforme ao padrão Blu-ray, que foi aprovado em conjunto por nove grandes fabricantes de equipamento audiovisual do Japão, Europa e Coreia do Sul em Fevereiro de 2002.



O método de 0,6 milímetros é composto por um sistema óptico com uma abertura numérica integrando uma lente objectiva de 0,65 mm, bem como por um disco contendo dois substratos com uma espessura de 0,6 mm colados entre si, permitindo uma melhor compatibilidade com os actuais DVDs do que o Blu-ray.



Em termos comparativos, o padrão Blu-ray adopta o método de camada de cobertura de 0,1 mm - relativo à sua espessura -, em que o sistema de DVD é combinado com um disco possuindo uma espessura total de 1,2 mm e uma lente objectiva com uma abertura numérica de 0,85 mm.



Segundo a Toshiba, o seu método de fabrico de 0,6 mm ,que utiliza o mesmo sistema de construção dos actuais DVDs, beneficia do facto de o suporte de gravação ser facilmente produzido através de uma ligeira adaptação das instalações de fabrico dos DVDs disponíveis no mercado.



Por outro lado, o método alternativo da fabricante japonesa permite que seja fácil alargar a Working Distance - a distância entre a superfície do disco e a lente objectiva -, além de não precisar que se utilize um cartucho especial para guardar o disco. Em contrapartida, requer um suporte de inclinação e outras funcionalidades de forma a suprimir o aparecimento de um ângulo de inclinação devido ao curvamento do disco.



A Toshiba espera obter com este método uma capacidade de armazenamento de dados entre os 18 e os 20 GBytes numa única camada e numa só face do disco para apenas reproduzir conteúdos multimédia e cerca de 15 GBytes num disco regravável. Prevê-se que a fabricante japonesa aplique o processo de detecção do sinal Partial Response Maximum Likelihood (PRML) de modo a atingir essa capacidade elevada de gravação de dados.



No que diz respeito à capacidade de gravação, apesar de ser inferior aos 25 GBytes obtidos pelo formato Blu-ray, a Toshiba espera colocar entre 27 e 30 GBytes de dados num disco mediante a aplicação de camadas duplas de uma só face no suporte de gravação.



O grupo de empresas que apoiam o Blu-ray está perto de estabelecer as especificações do padrão. Contudo, a Toshiba tem feito um enorme esforço para conseguir comercializar os primeiros aparelhos baseados no novo método por volta do mesmo período em que as firmas do grupo Blu-ray lançarem os seus equipamentos.



A NEC é uma companhia que irá provavelmente apoiar o método da Toshiba que, por sua vez, espera estabelecer as especificações do método ainda durante 2002 para começar a produção em volume dos aparelhos em 2003.



Segundo a AsiaBizTech, o DVD Forum vai promover o estudo do método de 0,6 mm num dos seus grupos de trabalho. No passado dia 4, este mesmo organismo decidiu criar dois subgrupo para analisar este e o método de camada de cobertura de 0,1 mm, ligados ao KG 11, um grupo de trabalho que examina a próxima geração de tecnologias de disco ópticos.


Notícias Relacionadas:

2002-03-18 - Toshiba apresenta na CeBIT protótipo de DVD de dupla face

2002-02-20 - Fabricantes de electrónica lançam novo formato de DVD com laser azul

2001-10-09 - Matsushita desenvolve discos DVD graváveis de duas faces

2000-10-10 - DVD de laser azul com 45 GB

2000-07-04 - 140 GB num disco regravável

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.