A consultora defende que 75% das apps móveis vão falhar testes básicos de segurança para utilização em contexto empresarial, independentemente de serem aplicações para Android, iOS ou Windows Phone. E a ameaça vai continuar a crescer, já em 2017 a maioria das ameaças dirigidas ao utilizador final estarão dirigidas a tablets e smartphones.



Para as empresas que permitem a utilização pessoal e profissional de telemóveis e tablet no mesmo equipamento a questão é especialmente relevante, até pela falta de experiência na gestão de questões de segurança relacionadas com aplicações móveis, relata a Cnet, que avança as conclusões da pesquisa.



A Gartner sublinha mesmo que, em muitos casos, os testes à segurança das apps são promovidos quase casualmente pelos próprios programadores e estão mais focados em aspetos relacionados com o funcionamento da app do que com preocupações ligadas à segurança.



A empresa defende que os testes SAST - Static Application Security Testing e Dynamic Application Security Testing (DAST), que ao longo dos últimos anos têm sido usados para avaliar a segurança das aplicações devem ser adaptados às características das tecnologias móveis.



A estes devem ser adicionados novos testes, mais focados em análise comportamental, e o reforço da segurança também deve chegar aos servidores que comunicam com os dispositivos móveis.

Escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.