O grupo que suporta o desenvolvimento do Wi-Fi acaba de anunciar a adopção de uma tecnologia que vai permitir uma transmissão de dados sem fios 10 vezes mais rápida que a actual.

A inovação destina-se a estabelecer a ligação entre equipamentos colocados a curtas distâncias entre si, podendo substituir os cabos destinados à transmissão de vídeo entre os dispositivos numa sala de estar. A solução não se destina a substituir o actual Wi-Fi mas antes a constituir uma alternativa, mais rápida mas de menor alcance.

A novidade é possível graças a uma parceria entre a Wi-Fi Alliance e a Wireless Gigabit Alliance (WiGig), que se tem dedicado ao desenvolvimento de formas de explorar a frequência de 60 gigahertz, com o fim de estabelecer ligações sem fios de alta velocidade entre equipamentos colocados na mesma divisão.

A nova norma, que faz o Wi-Fi saltar para uma velocidade de 7 gigabits por segundo, recebeu luz verde da Wi-Fi Alliance e poderá agora começar a integrar dispositivos destinados ao mercado de consumo, mas só dentro de cerca de dois anos deverão começar a chegar às lojas os primeiros produtos a tirar partido da tecnologia, adiantou o director de marketing da organização, Kelly Davis-Flener.

Ainda de acordo com o responsável, citado pela Associated Press, os primeiros equipamentos a integrar a solução deverão ser os leitores de Blu-ray, que assim poderão transmitir o seu sinal de vídeo e áudio em alta definição sem o auxílio de cabos para televisores também equipados com a nova tecnologia.

Computadores e dispositivos portáteis, como câmaras de vídeo ou consolas, também deverão, mais tarde, ser capazes de transmitir dados por esta via. Prevê-se ainda a utilização da tecnologia como meio de conexão entre redes domésticas.

A mesma frequência está a ser explorada com o mesmo fim por um outro grupo que se dedica ao desenvolvimento de tecnologia de transmissão de dados sem fios, a WirelessHD Consortium. Esta tecnologia foi integrada em alguns transmissores e receptores para vídeo HD que foram mostrados o ano passado.

De acordo com o responsável da organização, esta tecnologia foi inicialmente concebida para a transmissão de vídeo e áudio e depois expandida às comunicações de dados - tal como a WiGig, ainda assim será mais dirigida ao streaming de vídeo em alta definição e menos adequada a dispositivos portáteis.

Resta saber se haverá espaço para a coexistência de ambas as tecnologias, especialmente quando algumas das empresas que participam na Wi-Fi Alliance são também membros do WirelessHD Consortium, como acontece com a Intel, Samsung, Panasonic ou Toshiba.

Outro dos factores a ter em conta é o facto do Wi-Fi também já permitir a transmissão de vídeo nas frequências de 2.4GHz e 5GHz, que é uma opção mais barata e com um maior alcance no que respeita a distâncias, mas a qualidade da transmissão vídeo é pior e apresenta algum delay.

Criada há cerca de um ano, a WiGig conta com a colaboração de tecnológicas como a Dell, Intel, Nokia, Samsung, Microsoft ou a Cisco, que se juntou recentemente ao grupo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.