Hoje comemora-se o Dia Europeu da Internet Segura e os utilizadores jovens continuam a ser a principal preocupação das entidades reguladoras. A atenção redobrada a esta faixa de utilizadores é ainda mais justificada depois do recente estudo do EU Kids Online concluir que 55% dos jovens entre os 9 e os 16 anos consideram que existem conteúdos online que são perturbadores.

A pornografia online é o que mais preocupa os jovens europeus enquanto navegam na Internet. Cerca de 22% dos inquiridos escolheram o sexo como um dos maiores riscos da Internet, enquanto 18% apontaram as cenas de violência como os conteúdos que mais chocam na rede.

A violência inclui vários vertentes como vídeos de maus-tratos a animais ou até notícias com imagens chocantes. Mas o carácter realístico destes conteúdos acabam por acentuar ainda mais a preocupação dos mais novos relativamente ao encontro deste tipo de informação na rede, refere a investigação europeia.

As plataformas de partilha de vídeos como o Youtube e o RedTube são apontadas por 32% dos jovens como os principais locais na Internet onde o contacto com os conteúdos de carácter sexual e violento é mais comum, superando inclusive as redes sociais (13%) e os jogos (10%).

No geral os rapazes são mais suscetíveis às cenas de violência enquanto as raparigas mostram mais preocupação com a exposição ao contacto com estranhos.

As preocupações dos jovens com os conteúdos é maior quanto menor for a idade: aos 9 anos existe mais preocupação com vídeos de sexo e violência enquanto aos 12 anos já existe uma maior atenção aos perigos dos contactos com estranhos e partilhas de informação.

As preocupações com a exposição ao cyberbulling e às cenas de sexting, duas situações que têm crescido por causa do aumento dos dispositivos móveis e das redes de contactos de cada jovem, também estão a crescer. As redes sociais têm um papel relevante nestas ações negativas e o Facebook é apontado por 48% dos inquiridos como a maior plataforma de risco na área das preocupações relacionadas com os contactos estabelecidos.

Portugueses têm uma maior perceção dos riscos da Internet

Da equipa de investigação do estudo faz parte Cristina Ponte, coordenadora portuguesa do projeto EU Kids Online, que revelou que os jovens portugueses estão mais preocupados que as crianças europeias relativamente à pornografia e à violência online.

Como Cristina Ponte refere em vários meios de comunicação, a justificação está ligada às tradições mais católicas dos países do sul da Europa nas quais se enquadra Portugal.

A investigadora alerta ainda para o facto de os agentes sociais mais instruídos, como os pais e os educadores das escolas, terem que ficar atentos a sinais de mudança nos comportamentos das crianças que muitas vezes têm origem nos encontros com conteúdos explícitos e violentos - 12% das crianças europeias admitiram que em 2012 depararam-se com um destes conteúdos enquanto navegavam.

O estudo EU Kids Online teve por base um inquérito a mais de 25 mil crianças dos 9 aos 16 anos de 25 países europeus.

Escrito ao abrigo do novo Acordo
Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.