As autoridades da Islândia identificaram 11 pessoas suspeitas do roubo de 600 computadores, e apresentadas a um juiz do tribunal islandês de Reykjanes. Os computadores, que estavam num centro de dados, eram utilizados para minerar bitcoins e outras criptomoedas. Segundo declarações das autoridades à Associated Press, o crime é considerado um dos maiores golpes da história daquele país.

Os computadores eram modelos topo de gama, avaliados em cerca de 2 milhões de dólares, ou mais, mediante a quantidade das criptomoedas mineradas em arquivo. As máquinas, que estavam envolvidas em operações de processamento de algoritmos mais complexos, ainda não foram encontradas.

A polícia está a investigar picos pouco usuais de utilização de energia a fim de detetar o paradeiro das máquinas, tendo detido dois dos 11 suspeitos.

Elevado risco: Moedas virtuais voltam a estar na mira das autoridades europeias
Elevado risco: Moedas virtuais voltam a estar na mira das autoridades europeias
Ver artigo

A Islândia tem sido um destino escolhido para as empresas minerarem criptomoedas, devido aos baixos custos de energia, já que 80% da eletricidade é obtida através de plantas hidroelétricas.

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.