Depois de ter desafiado a Sony, militares, entidades governamentais e a bolsa de Nova Iorque, o grupo de hacktivistas Anonymous aponta agora baterias para sites de divulgação de imagens de abuso de menores.

O grupo comunicou ter bloqueado mais de 40 sites que continham imagens de pornografia infantil e abuso de menores e o serviço de alojamento, divulgando também informação de mais de 1.500 utilizadores destes serviços.

Um dos sites visados foi o Lolita City, um dos maiores do grupo de serviços atacados que usava o serviço de hospedagem Freedom Hosting. Estes tiravam partido de uma rede privada, usando um protocolo escondido que doi desenvolvido originalmente pela marinha norte-americana, a rede Tor. Esta rede é usada para partilha de conteúdos ilegais mas também tem servido para suportar quem quer contornar sistemas de censura, como aconteceu no início do ano no Egito, servindo para escapar à vigilância do governo.

De acordo com o comunicado, com o ataque à Freedom Hosting o grupo conseguiu eliminar mais de 40 sites com conteúdos pedófilos, estimando em mais de 100GB o volume de dados alojados nestes servidores.

A operação Darknet, como é designada pelo grupo Anonymous, enquadra-se no combate à pornografia infantil, como explica o vídeo publicado pelo movimento hacktivista no YouTube, que reproduzimos abaixo.

Escrito ao abrigo do Acordo Ortográfico

Não perca as principais novidades do mundo da tecnologia!

Subscreva a newsletter do SAPO Tek.

As novidades de todos os gadgets, jogos e aplicações!

Ative as notificações do SAPO Tek.

Newton, se pudesse, seguiria.

Siga o SAPO Tek nas redes sociais. Use a #SAPOtek nas suas publicações.