O governo federal dos Estados Unidos afirmou que detectou ao início do dia de ontem uma série de ataques electrónicos contra fornecedores de acesso à Internet daquele país, horas depois de o National Infrastructure Protection Center (NIPC), unidade de combate ao cibercrime do FBI, ter emitido um alerta destinado a empresas de tecnologia.


Publicado segunda-feira à noite e baseado em informação transmitida pelas autoridades italianas, o alerta referia que "na tarde do dia 5 de Agosto, o NIPC recebeu informações credíveis mas não específicas de que estão a ser planeados para o dia de hoje ataques de hackers em grande escala contra sites da Web e ISPs norte-americanos, possivelmente provindos da Europa Ocidental".



Segundo Richard Clarke, conselheiro da administração Bush para a ciber-segurança citado pela agência de notícias, "ocorreu um verdadeiro pico no tráfego da Internet em horas pouco vulgares. Foi algo claramente invulgar porque o nível de tráfego foi cinco a sete vezes superior do que o normal, mas não provocou um congestionamento de servidores".



Oficiais do governo dos EUA afirmaram ontem que uma torrente de dados superior em quase 700 por cento ao nível normal de tráfego se destinou a fornecedores de acesso à Internet e sites da Web da costa leste do país a partir das duas horas da madrugada - sete horas da manhã em Portugal Continental -, tendo depois alterado o seu rumo em direcção aos ISPs e sites da costa oeste.



Mas, ao contrário de alguns ataques recentes de denial of service que empregam centenas ou milhares de computadores para entupir sites da Web, este último ataque parece ter tido origem num número relativamente pequeno de máquinas. Isso permitiu que os fornecedores de acesso à Internet protegessem mais facilmente as suas redes através da filtragem de dados vindos dos computadores atacantes.



A Matrix NetSystems, uma empresa que monitoriza o estado da Internet, detectou uma redução de um por cento na acessibilidade à Internet durante as horas dos ataques e uma pequena percentagem dos três mil dispositivos Internet que monitoriza foram completamenta inundados dentro dos Estados Unidos.



Porém, a maior parte das organizações e companhias que controlam a actividade e a segurança na Rede detectaram apenas ligeiramente um surto de actividade invulgar, tendo existido poucos relatos de períodos de interrupção do encaminhamento do tráfego ou de atrasos generalizados do email. A maior parte dos ISPs norte-americanos também não registaram qualquer problema.



Notícias Relacionadas:

2002-06-27 - Ciberataques da al Qaeda sob suspeita do FBI

2002-02-05 - Serviços financeiros do governo dos EUA vulneráveis a ciberataques

2001-10-11 - Bush nomeia conselheiro nacional para a segurança do ciberespaço

2001-05-24 - Agência federal americana de combate ao cibercrime é ineficaz

2000-12-11 - Os EUA podem sofrer outro Pearl Harbour... no ciberespaço

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email.

Notificações

Subscreva as notificações SAPO Tek e receba a informações de tecnologia.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.